16 de Agosto de 2010 / às 15:12 / 7 anos atrás

Grupo de reggae faz covers de Pink Floyd e Beatles

<p>Banda Easy Star All-Stars no Cropredy Convention de Fairport in Oxfordshire, Inglaterra. 14/08/2010 REUTERS/Jeremy Gaunt</p>

Por Jeremy Gaunt

CROPREDY, Inglaterra (Reuters Life!) - Qualquer pessoa que já tenha ouvido os mestres do reggae Toots and the Maytals elevando “Country Roads”, de John Denver, a um nível todo diferente saberá que o reggae é capaz de fazer covers de praticamente qualquer coisa.

A banda The Easy Star All-Stars, que no fim de semana levou uma dose pulsante de ritmo jamaicano a uma plateia de folk-rock principalmente britânica na Cropredy Convention de Fairport, na Inglaterra, está alcançando níveis inteiramente novos.

Desde o CD cult “Dub Side of the Moon”, passando por “Radiodread” e chegando a “Easy Star’s Lonely Hearts Dub Band”, o grupo nova-iorquino vem criando covers de todo um panteão de clássicos do rock.

Mais especificamente, de “Dark Side of the Moon”, do Pink Floyd, “OK Computer”, do Radiohead, e “Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, dos Beatles.

O que chama a atenção nas produções, que seguem os originais do começo até o fim, é que cada uma delas passa a impressão de uma homenagem verdadeira, e não de um simples cover de imitação.

Embora não surpreenda que o reggae se saia bem com faixas como “Money”, do Pink Floyd, ou “Lovely Rita”, dos Beatles, isso não é tão óbvio no caso de faixas como “Breathe” ou “Within You Without You”.

Mas os covers funcionam com grande efeito, como puderam ouvir os fãs alegres e dançantes presentes em Cropredy.

Para Ras I Ray, o baixista e ocasional vocalista do All-Stars, não surpreende que o tratamento caribenho dado a alguns clássicos do rock tenha bons resultados.

“É a simplicidade do reggae”, disse ele à Reuters antes da apresentação em Cropredy. “É possível ter reggae em todos os tipos de música.”

O grupo All-Stars geralmente tem nove integrantes - oito instrumentistas e cantores e um técnico de mixagem de som que, segundo Ray, é um membro integral da banda. São artistas individuais reunidos pela Easy Star Records, especialista em reggae e produção de covers.

A banda vem fazendo sucesso até agora principalmente na Europa ocidental, especialmente na Grã-Bretanha, onde uma turnê se encerra esta semana e uma nova, que inclui a Irlanda, está prevista para começar em outubro.

Entre uma turnê e outra, a banda vai apresentar-se no Canadá e Estados Unidos. Ray diz que não está sendo fácil penetrar no mercado americano, porque a indústria musical dos EUA é compartimentalizada e simplesmente não sabe em que categoria enquadrar o All-Stars.

Enquanto isso há outro álbum de covers a caminho, mas a banda ou não sabe o que será, porque a Easy Star Records ainda não decidiu, ou não quer revelar o segredo.

“Há outro cover no futuro. Não sabemos exatamente o que será”, disse Ray.

Alguém na sala cochichou algo sobre o Abba. Pode ter sido brincadeira - ou não. De um jeito o outro, o reggae e os All-Stars darão conta do recado.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below