Zsa Zsa Gabor decide passar seus últimos dias em casa

terça-feira, 17 de agosto de 2010 09:35 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - A atriz Zsa Zsa Gabor decidiu passar o resto de seus dias em sua casa em Bel Air, Los Angeles, e rejeitou a ideia de se submeter a mais cirurgias, disse seu agente na segunda-feira.

Gabor, de 93 anos, recebeu extrema-unção de um padre no hospital durante o final de semana, depois de sofrer uma série de complicações após uma cirurgia de substituição de quadril há uma semana.

Os médicos queriam realizar uma cirurgiã em seu fígado, que poderia lhe dar 50 por cento de chances de sobrevivência, mas Gabor e seu marido, Frederick Prinz von Anhalt, decidiram que "ela queria passar seus últimos dias em casa", disse o agente John Blanchette.

"Frederick disse que ele não queria mais torturá-la", acrescentou Blanchette. Ele afirmou que a estrela, que fez sucesso em Hollywood por 60 anos, está alternadamente "perdendo e ganhando consciência".

Ela deixou um hospital de Los Angeles na segunda-feira e voltou para casa.

Gabor, famosa desde os anos 1950 por vários filmes, programas de televisão e maridos ricos, recebeu alta do hospital na semana passada, mas foi internada novamente na sexta-feira para tratar de duas coagulações de sangue.

Ela quebrou o quadril no dia 17 de julho ao cair da cama, enquanto assistia ao programa de televisão "Jeopardy". A atriz ficou parcialmente paralisada em um acidente de carro em 2002.

"Ela teve uma ótima história", disse Blanchette. "Tem 93 anos. Conheceu cinco presidentes... conheceu reis e rainhas, celebridades."

Nascida na Hungria, Gabor apareceu em mais de 30 filmes, e seu gosto por chamar todos de "dah-ling" (querido) em seu sotaque húngaro a tornou uma personalidade bem-conhecida.   Continuação...

 
<p>Zsa Zsa Gabor em tribunal de Beverly Hills ao receber senten&ccedil;a de 145 horas de servi&ccedil;o comunit&aacute;rio ap&oacute;s descumprir sua primeira senten&ccedil;a por agredir um policial. A atrizdecidiu passar o resto de seus dias em sua casa em Bel Air, Los Angeles, ap&oacute;s diversos problemas de sa&uacute;de. REUTERS/Arquivo</p>