ENTREVISTA-Emma Thompson fala do novo "Nanny McPhee"

quinta-feira, 19 de agosto de 2010 15:06 BRT
 

Por Bob Tourtellotte

LOS ANGELES (Reuters Life!) - O sucesso não é novidade na vida de Emma Thompson, mas quando o filme "Nanny McPhee - A Babá Encantada", que ela escreveu e estrelou, vendeu 122 milhões de dólares em ingressos no mundo em 2005, muitos observadores do cinema se surpeenderam.

Na sexta-feira, Emma, duas vezes premiada com o Oscar (pelo roteiro adaptado de "Razão e Sensibilidade" e como atriz principal de "Retorno a Howard's End"), voltará com maquiagem assustadora no papel da babá durona, agora em "Nanny McPhee e as Lições Mágicas".

No novo filme, a babá aparece na casa da família Green quando o pai foi à guerra, a mãe (Maggie Gyllenhaal) está tendo dificuldade em cuidar de seus dois filhos e da fazenda da família, e, justamente quando achava que não conseguiria dar conta de tudo, surgem outras duas crianças da cidade, desencadeando batalhas infantis entre as crianças.

Thompson, 51 anos, conversou com a Reuters sobre seu trabalho de roteirista e os filmes "Nanny McPhee," baseados indiretamente nos livros sobre outra babá durona, Matilda.

Pergunta: Você leu os livros sobre Matilda quando era criança?

Resposta: Sim, e um dia quando estava tirando o pó de minha biblioteca encontrei esse livrinho. Eu tinha acabado de fazer "Razão e Sensibilidade" e achei que havia algo de muito cinematográfico nessa personagem (Matilda), porque seu rosto muda entre o começo e o fim, embora ela não mude internamente.

Hoje em dia vivemos sob o domínio de uma beleza muito superficial, algo que acho profundamente preocupante e que não contribui em nada para a felicidade humana. Para mim, Nanny McPhee é uma grande rebelião contra tudo isso.

P: Nanny McPhee não é Mary Poppins, que era toda adocicada. Nanny McPhee é intransigente. Por que isso é melhor?   Continuação...