Egito impede viagem de autoridades após furto de quadro

segunda-feira, 23 de agosto de 2010 12:58 BRT
 

CAIRO (Reuters) - O procurador-geral do Egito deu ordens para que o chefe de belas artes do governo seja detido por quatro dias durante a investigação sobre o roubo de uma obra de Van Gogh, informou a mídia estatal. A pintura é avaliada em 55 milhões de dólares.

Mohsen Shaalan, primeiro subsecretário do Ministério da Cultura, e outras quatro autoridades foram acusadas de "negligência e incapacidade para realizar os deveres de seus cargos", disse a agência estatal Mena na segunda-feira.

Segundo um comunicado em árabe, a obra, conhecida como "Flor de Papoula", foi furtado no sábado do Museu Mahmoud Khalil, que abriga uma das mais belas coleções de arte do século 19 e 20 do Oriente Médio.

Uma investigação preliminar no museu constatou "brechas flagrantes" na segurança, já que apenas 7 de um total de 43 câmeras estavam funcionando adequadamente, informou o diário estatal al-Ahram, sem dar mais detalhes.

O especialista em arte Ezz el-Din Naguib disse em um programa de televisão que o mesmo quadro havia sido furtado no final dos anos 1970, mas foi recuperado dez anos depois. Segundo o jornal, o procurador-geral proibiu a viagem de autoridades do Ministério da Cultura como parte da investigação. Autoridades do governo não estavam imediatamente disponíveis para comentar.

O museu abriga obras reunidas por Mohammed Mahmoud Khalil, um político que faleceu em 1953. O acervo inclui pinturas de Gauguin, Monet, Manet e Renoir, bem como do holandês Van Gogh, mestre do pós-impressionismo.

Horas depois de a obra ter desaparecido, a mídia estatal informou que a segurança aeroportuária havia detido um jovem italiano carregando a peça, e também teria prendido sua companheira, mas posteriormente informou que a busca continuava.

A embaixada italiana negou informações de que dois turistas italianos estariam envolvidos no caso, segundo a Mena. Autoridades da embaixada não estavam imediatamente disponíveis para comentar.

Fontes do aeroporto disseram que cerca de cem italianos retornando ao seu país foram revistados, na tentativa de impedir a saída da pintura do Egito.

(Reportagem de Alexander Dziadosz e Marwa Awad)

 
<p>Museu de Arte Moderna Mahmud Khalil, no Cairo. O quadro conhecido como "Flor de Papoula", de Van Gogh, foi furtado do museu no s&aacute;bado. 23/08/2010 REUTERS/Asmaa Waguih</p>