Susan Boyle diz que cantar para o papa é 'realização de sonho'

quinta-feira, 26 de agosto de 2010 09:36 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Susan Boyle, a cantora escocesa que virou fenômeno mundial, disse na quarta-feira que se apresentar diante do papa Bento 16 durante sua visita à Grã-Bretanha no mês que vem será "a realização de meu maior sonho".

Boyle, de 49 anos, se tornou estrela mundial depois de participar do programa de TV "Britain's Got Talent" no ano passado. Ela cantará três músicas quando o papa realizar uma missa campal em Glasgow no dia 16 de setembro, informou a Igreja Católica Escocesa em comunicado.

Uma das canções será sua marca registrada "I Dreamed a Dream" do musical "Os Miseráveis". Ela também cantará "How Great Thou Art" e uma música de despedida quando o papa Bento 16 estiver deixando a missa em Glasgow. Depois do evento, o papa viajará para Londres para continuar sua visita de quatro dias.

Boyle, que nunca se casou e certa vez brincou dizendo que nunca foi beijada, é ex-funcionária de igreja e uma católica que cantava no coral da igreja local.

"Poder cantar para o papa é uma grande honra e algo com que sempre sonhei -- é incrível. Acho que o dia 16 de setembro ficará na memória como algo que sempre quis fazer", disse Boyle em entrevista à televisão, gravada na sala de imprensa da Igreja Escocesa.

Ela disse que foi contatada pelo cardeal Keith O'Brien, presidente da conferência de bispos da Escócia, para cantar na missa papal.

A participação de Boyle como candidata no programa musical da TV, mal-arrumada, mas com uma voz impressionante, a tornou um fenômeno na Internet. Seu álbum lançado em 2009 foi o disco campeão de vendas do ano, com mais de 9 milhões de cópias vendidas.

O papa Bento 16 estará na Grã-Bretanha entre os dias 16 e 19 de setembro, em sua primeira visita oficial ao país.

(Reportagem de Jill Serjeant)

 
<p>Susan Boyle canta "I Dreamed a Dream" em evento beneficente em Copenhague, em janeiro. A cantora escocesa disse na quarta-feira que se apresentar diante do papa Bento 16 ser&aacute; "a realiza&ccedil;&atilde;o de meu maior sonho". 30/01/2010 2010. REUTERS/Arquivo</p>