Repleto de sangue, "Machete" arranca sorrisos em Veneza

quarta-feira, 1 de setembro de 2010 14:15 BRT
 

Por Silvia Aloisi

VENEZA (Reuters) - Uma história sobre imigrantes mexicanos ilegais, políticos norte-americanos corruptos, traficantes de drogas e vigilantes vira um filme pulp em "Machete", do diretor Robert Rodriguez, que fez a platéia gargalhar no festival de Veneza.

O herói improvável do filme repleto de sangue é um ex-policial mexicano, cabeludo, tatuado e envelhecido, cujo apelido Machete vem de sua arma preferida -- usada por ele sem parar como vingança contra os assassinos de sua família.

Rodado na fronteira entre o Texas e o México, Machete conta com um elenco eclético que inclui Robert De Niro, interpretando um senador norte-americano anti-imigrantes, Jessica Alba como agente da lei, o ator veterano Steven Seagal, o astro de "Miami Vice" Don Johnson e Lindsay Lohan.

Nascido e criado no Texas, Rodriguez disse que a idéia de Machete veio de um falso trailer inserido por ele no filme "Grindhouse", tributo dele e de Quentin Tarantino aos filmes B, lançado em 2007.

"Esse trailer abriu o apetite do público e anos depois as pessoas me perguntavam se eu iria transformar Machete em um filme. Elas vinham e pediam por isso", afirmou Rodriguez após uma exibição do filme para a imprensa. "Machete" está sendo exibido fora da competição do festival de Veneza.

Diversos dos filmes anteriores de Rodriguez, incluindo "El Mariachi", "Desperado" e "Um Drink no Inferno", falam sobre o México. Ele disse, no entanto, que desta vez quis fazer um filme cujo protagonista fosse um herói de ação mexicano, que poderia apelar para um público mais amplo.

"Ele não é apenas para latinos, eu queria alguém com um histórico violento, um cara incorruptível que não daria um passo para trás e eu queria fazer algo que as pessoas nunca tivessem visto," disse ele.

TUDO SOBRE FACAS   Continuação...

 
<p>Diretor Robert Rodriguez e atriz Jessica Alba em sess&atilde;o de fotos para o filme "Machete" no festival de Veneza. 01/09/2010 REUTERS/Tony Gentile</p>