Angelina Jolie repudia plano de queimar cópias do Alcorão

quarta-feira, 8 de setembro de 2010 12:33 BRT
 

ISLAMABAD (Reuters) - A atriz Angelina Jolie juntou-se na quarta-feira a um coro crescente de oposição ao plano de um pastor americano de queimar cópias do Alcorão no aniversário dos ataques de 11 de setembro, temendo que a iniciativa possa incentivar o ódio religioso.

O evento de queima do Alcorão, planejado para o sábado pelo pastor Terry Jones, que chefia uma pequena igreja pouco conhecida da Flórida, está alimentando temores crescentes sobre o aumento nas tensões entre cristãos e muçulmanos nos Estados Unidos e também em outros lugares do mundo.

Jolie, premiada com o Oscar, está visitando o Paquistão para chamar a atenção para a situação de milhões de vítimas das piores enchentes na história do país. Ela declarou que jamais seria favorável a planos desse tipo.

"É claro que não. É claro que não", disse ela em coletiva de imprensa, quando lhe foi perguntado se apoiava os planos do pastor Jones.

Jolie disse que "mal tinha as palavras" com as quais expressar sua oposição à queima do texto religioso de qualquer fé.

Ela saudou a oposição do governo americano aos planos, que já suscitaram protestos irados no Afeganistão, onde tropas americanas combatem militantes do Taliban.

Comandantes militares americanos em Cabul avisaram que a queima do Alcorão colocará vidas de americanos em risco no Afeganistão. A Casa Branca e o Departamento de Estado divulgaram advertências, deixando claro que o governo do presidente Barack Obama deplora o plano.

(Reportagem de Zeeshan Haider)

 
<p>A atriz Angelina Jolie chega no campo Jalozai de v&iacute;timas das enchentes em visita &agrave;s &aacute;reas inundadas na prov&iacute;ncia paquistanesa de Khyber-Pakhtunkhwa, 7 de setembro de 2010. REUTERS/Morteza Nikoubazl</p>