ESTREIA-"A Ressaca" volta à década de 1980 com humor rasteiro

quinta-feira, 9 de setembro de 2010 09:52 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A década de 1980 parece ser uma ferida aberta no universo da cultura pop. Vez por outra, o cinema a revisita e mostra que o século 21 - com e-mails, iPods, twitters e celulares - ainda deve muito ao passado. "A Ressaca", que estreia no país nesta sexta-feira, é mais uma viagem no tempo.

Desta vez, porém, com resultados bem decepcionantes, especialmente por conta de um humor rasteiro e uma história que não tem quase nada de original.

Embora "A Ressaca" deva ter sido filmada antes de "Se beber, não case", o longa mais parece uma mistura dessa comédia com a série "De volta para o futuro". Por conta de um acidente em uma banheira, um grupo de três amigos, mais o sobrinho nerd de um deles, são transportados para o passado. Eles percebem que continuam os mesmos, mas vivendo sua realidade de meados da década de 1980.

Adam (John Cusack, de "2012") acaba de levar um fora da namorada. Lou (Rob Corddry, de "Jogo de amor em Las Vegas") é festeiro, mas anda deprimido. Nick (Craig Robinson, da série "The office") vive controlado pela esposa. Por fim, Jacob (Clark Duke, de "Sex Drive - Rumo ao Sexo") tem pouco mais de 20 anos e não sai de casa, onde mergulha em videogames. Esse é o perfil dos protagonistas que viajam para uma pousada no campo, onde passaram uma noitada em 1986. A nova ida ao local promete outra noite histórica.

Mero engano, pois quando chegam descobrem que a tal pousada se tornou um local decadente e vazio. Ainda assim, alugam o mesmo quarto que usaram da outra vez e entram todos na banheira para se divertir. Ocorre novo acidente e eles voltam mais 20 anos no passado.

Daí em diante, o filme dirigido por Steve Pink - corroteirista de "Matador em Conflito", "Alta Fidelidade" - segue a cartilha de personagens que tentam se acertar com o passado, para melhorar o futuro. No entanto, Lou lembra-se do filme "Efeito Borboleta" e alerta seus amigos de que não devem mudar nada do passado, o que alteraria o futuro - ou seja, o presente deles.

Há também um personagem misterioso, interpretado pelo ícone de comédias dos anos de 1980, Chevy Chase, talvez a única boa sacada do filme. Ele entra e sai de cena sem ninguém perceber e sempre tem um comentário cínico para fazer.

Cusack, usando um figurino bastante parecido com aqueles dos filmes de 1980, que o fizeram famoso, como "Digam o que quiserem" e "Gatinhas e Gatões", funciona no piloto automático sem o mesmo carisma ou timing que demonstrou em "Matador em Conflito" e "Alta Fidelidade". Quem acaba roubando a cena, e mais tarde se tornando irritante, é Corddry, com seu personagem mal resolvido.

Para aqueles que nasceram durante ou depois da década de 1980, "A Ressaca" pode ser um curioso olhar para o passado. Já para aqueles que vivenciaram o período, o filme soa como algo meio antropológico, um olhar que assusta ao nos fazer lembrar que as pessoas se vestiam daquele jeito e ouviam aquelas músicas.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
<p>John Cusack durante estreia do filme "A Ressaca" em Hollywood, em mar&ccedil;o. O filme estreia nesse final de semana em circuito nacional. 17/03/2010 REUTERS/Mario Anzuoni/Arquivo</p>