Viagem de Oprah à Austrália pode ajudar turismo, diz ministro

terça-feira, 14 de setembro de 2010 11:18 BRT
 

SYDNEY (Reuters Life!) - Oprah Winfrey pode ter surpreendido o público de seu programa na segunda-feira ao dar a todos uma viagem de oito dias à Austrália, de graça. Mas a viagem também surpreendeu os australianos, com uma conta de 3 milhões de dólares australianos (2,8 milhões de dólares).

O ministro do Turismo, Martin Ferguson, disse que os governos federal e do estado de New South Wales gastariam mais de 3 milhões de dólares para ajudar a trazer o programa "The Oprah Winfrey Show" à Austrália como forma de impulsionar o turismo.

Ele disse que o dinheiro seria um bom investimento, pois colocaria o país nos holofotes em um programa de TV de sucesso. "The Oprah Winfrey Show" é visto por 40 milhões de norte-americanos e transmitido em 145 países.

"Oprah é um nome muito conhecido e seu poder como estrela tem o potencial de posicionar o perfil da Austrália como um destacado destino turístico", disse Ferguson em comunicado nesta terça-feira.

O ex-ministro de Turismo, John Brown, pediu à mídia que não fosse "cínica sobre os custos" no momento em que o número de australianos que viajam para o exterior de férias é maior que o número de turistas que vêm à Austrália.

"Já gastamos centenas de milhões de dólares em 30 anos sem muito efeito, e devemos dizer isso honestamente", disse ele em coletiva de imprensa. "A publicidade que Oprah trará à Austrália no mundo é algo que não se poderia comprar."

Winfrey anunciou a viagem na segunda-feira, na estreia da 25a e última temporada de seu programa na TV.

Cerca de 300 espectadores bateram palmas, choraram e se abraçaram enquanto Winfrey dizia que eles iriam por oito dias e sete noites à Austrália, onde ela gravará pelo menos dois episódios do programa, incluindo o Sydney Opera House, em dezembro.

 
<p>Oprah Winfrey em programa especial no Radio City Music Hall em NOva York, em maio. Oprah levar&aacute; um grupo de espectadores de seu programa em uma viagem de oito dias &agrave; Austr&aacute;lia. 07/05/2010 REUTERS/Lucas Jackson</p>