Filme sobre Facebook é a mais recente história "verídica"

quarta-feira, 29 de setembro de 2010 18:57 BRT
 

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Dizem que Hollywood nunca deixa a verdade se interpor no caminho de uma boa história, e, embora um filme a ser lançado sobre o Facebook tenha deixado alguns críticos na dúvida quanto à veracidade ou não de sua trama, as plateias provavelmente não se importarão muito com isso.

"The Social Network", que chega aos cinemas americanos na sexta-feira, vem sendo elogiado pela crítica e está até mesmo sendo aventado como possibilidade para o Oscar, mas sua alegação de que retrata a história verídica do nascimento do site tremendamente popular de relacionamento social se deve a um livro que foi criticado por seus métodos de reportagem.

Assim como "JFK - A Pergunta Que Não Quer Calar" foi acusado de tomar liberdades com fatos históricos relativos ao assassinato do presidente John F. Kennedy, "Social Network", de David Fincher, faz parte de uma longa sequência de filmes de Hollywood que provocaram controvérsia por seus retratos criativos de personagens da vida real e por cenas de fatos que nunca aconteceram.

Mas, em uma era em que o público pede TV-realidade, ciente de que em muitos casos lhe faltam elementos da verdade, é possível que o público se preocupe muito pouco com a autenticidade, disseram especialistas em cinema.

"Recentemente temos confundido tanto a realidade com a ficção na televisão e no cinema que não enxergamos problema em roteiristas e autores tomarem liberdades para criar algo que seja dramático e interessante", disse o crítico de cinema Pete Hammond, que também é colunista do Deadline Hollywood.

"The Social Network" relata como Mark Zuckerberg, o co-fundador do Facebook, transformou-se de estudante arrogante e socialmente desajeitado da Universidade Harvard, que tinha dificuldades com as mulheres, em criador de um site de relacionamento social que tem mais de 50 milhões de membros hoje e vale dezenas de bilhões de dólares.

Além de dúvidas quanto ao livro sobre o qual o filme se baseia -- "The Accidental Billionaires: The Founding of Facebook, A Tale of Sex, Money, Genius and Betrayal" (Os bilionários acidentais: a fundação do Facebook, uma história de sexo, dinheiro, genialidade e traição), de Ben Mezrich --, o que está provocando polêmica é o fato de Zuckerberg não ter cooperado com o filme.

"Boa parte do filme é ficção", disse ele a Oprah Winfrey na semana passada no talk show da apresentadora. "Estamos falando de minha vida, portanto eu sei que ela não é tão dramática assim."   Continuação...

 
<p>Ator Jesse Eisenberg na estreia do filme "The Social Network" em Nova York. 24/09/2010 REUTERS/Eric Thayer</p>