George Michael nega ter tratamento especial na prisão

segunda-feira, 4 de outubro de 2010 08:53 BRT
 

LONDRES (Reuters Life!) - O cantor George Michael negou reportagens da mídia acusando-o de receber tratamento especial na prisão, onde está detido por dirigir sob a influência de drogas.

Em comunicado, o ex-líder do Wham! disse que se sentiu obrigado a responder ao que descreveu como o "lixo usual" da imprensa.

Michael, de 47 anos, foi condenado a oito semanas de prisão no mês passado após ter provocado um acidente de carro em Londres, em julho. Ele também foi proibido de dirigir por cinco anos e recebeu uma multa.

O músico recebeu autorização para cumprir quatro semanas atrás das gradas e passar o restante da pena em condicional.

"Gostaria de elevar o tom em relação ao lixo usual que estou lendo dia após dia sobre meu período aqui na prisão. Acho justo com meus fãs, família e amigos responder de alguma forma, mesmo que em breve eu esteja voltando para casa", disse.

"Então, por favo,r acreditem em mim quando eu digo que nas últimas três semanas não houve lágrimas, nem ansiedade -- na verdade, nada além de uma noite sem dormir", afirmou.

"Ao contrário, eu tenho sido tratado com gentileza pelas outros presos e pelos funcionários e, até onde posso dizer, não recebi nenhum tratamento especial de quem quer que seja, a não ser, é claro, de alguns caras que estão me deixando vencer na sinuca."

O astro das músicas de sucesso "Careless Whisper" e "Faith" disse ainda que voltará ao estúdio de gravação após anos sem lançar nada novo.

"A maior parte do meu tempo tem sido ocupado lendo milhares de cartas e cartões incríveis de apoio de pessoas do mundo todo. Prometo recompensar toda essa gentileza com novas músicas o quanto antes possível", afirmou.   Continuação...

 
<p>George Michael chega ao tribunal em Londres em setembro. O cantor negou reportagens da m&iacute;dia acusando-o de receber tratamento especial na pris&atilde;o, onde est&aacute; detido por dirigir sob a influ&ecirc;ncia de drogas. 14/09/2010 REUTERS/Suzanne Plunkett</p>