Caso de plágio de Harry Potter pode ir a tribunal britânico

quinta-feira, 14 de outubro de 2010 11:03 BRT
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - J.K. Rowling está sendo acusada de ter copiado o trabalho de outro autor de livros infantis ao escrever "Harry Potter e o Cálice de Fogo", o quarto dos sete livros da série, e é possível que tenha de ir ao tribunal para se defender.

Um juiz responsável pelo caso de plágio no Tribunal Superior de Londres disse durante uma audiência nesta quinta-feira que as alegações feitas por Paul Allen, representante da propriedade do falecido escritor Adrian Jacobs, eram "improváveis".

Mas David Kitchin também rejeitou um pedido dos advogados de Rowling e sua editora britânica Bloomsbury por um julgamento imediato que dispense o caso.

Bloomsbury nega as alegações de que Rowling teria copiado "partes substanciais" do livro "The Adventures of Willy the Wizard -- No 1 Livid Land (As Aventuras de Willy, o Bruxo: No. 1 Terreno Lívido"), escrito por Jacobs em 1987.

O responsável pela propriedade de Jacobs disse que "Harry Potter e o Cálice de Fogo" copiava elementos da história de Willy, o Bruxo, incluindo a competição de bruxos, e que a série Potter tomava emprestado a ideia de bruxos viajando em trens.

Bloomsbury disse que Rowling nunca tinha ouvido falar do livro de Jacob antes da alegação de plágio feita pela primeira vez em 2004, quase sete anos após a publicação do primeiro livro da série Harry Potter.

O juiz disse durante a audiência que as provas de Rowling, nesse sentido, eram "muito fortes e o senhor Allen não tinha provas diretas para desafiá-las".

 
<p>A autora de "Harry Potter", J.K. Rowling, l&ecirc; o primeiro livro da s&eacute;rie durante evento na Casa Branca, 5 de abril de 2010. REUTERS/Larry Downing</p>