Jolie tenta acalmar preocupações sobre seu filme na Bósnia

sexta-feira, 15 de outubro de 2010 12:46 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - Angelina Jolie disse esperar nesta quinta-feira que os críticos do filme que ela está dirigindo no leste europeu contenham suas reclamações por enquanto, pois a produção segue diferentes linhas que podem acalmar suas preocupações.

"Há diversos meandros na história que lidam com a natureza sensível do relacionamento entre os principais personagens e isso será revelado quando o filme for lançado", disse em comunicado a atriz vencedora de Oscar.

"Espero que as pessoas guardem seus julgamentos até que tenham visto o filme", disse ela.

O filme, ainda sem título, retrata a história de amor entre um sérvio e uma mulher bósnia às vésperas da Guerra da Bósnia em 1992 que matou 100 mil pessoas.

Bakira Hasecic, presidente da associação Mulheres Vítimas de Guerra na Bósnia, disse ao jornal Oslobodjenje que a personagem feminina "está na verdade se apaixonando por seu torturador", e pediu que as autoridades proíbam a produção do filme.

Na quarta-feira, um ministro do governo cancelou uma licença para as filmagens, e algumas manchetes de jornais alertaram que a produção do filme havia sido interrompida. Um representante de Jolie disse à Reuters que as manchetes estavam incorretas e que a equipe estava atualmente filmando em Budapeste antes de seguir para a Bósnia.

Edin Sarkic, um executivo da produtora Scout Film, com sede em Sarajevo, disse à Reuters que a empresa havia entregue um roteiro final às autoridades responsáveis e pediria uma nova licença para as filmagens.

Na quinta-feira, os produtores dissera que o cancelamento da licença era uma "questão puramente técnica".

Jolie tentou aplacar as preocupações do grupo defensor dos direitos das mulheres na Bósnia ao dizer em comunicado que "obviamente, qualquer interpretação dramática nunca será adequada para aqueles que tiveram uma experiência real".

 
<p>Angelina Jolie (dir) fala com elenco de seu novo filme em Budapeste. Jolie disse esperar que os cr&iacute;ticos de seu contenham suas reclama&ccedil;&otilde;es por enquanto, pois a produ&ccedil;&atilde;o segue diferentes linhas que podem acalmar suas preocupa&ccedil;&otilde;es. 13/10/2010 REUTERS/Bernadett Szabo</p>