Exposição sobre Hitler se torna atração turística em Berlim

quarta-feira, 20 de outubro de 2010 09:24 BRST
 

BERLIM (Reuters Life!) - "Hitler e os Alemães", exposição do Museu Histórico Alemão em Berlim que investiga a sociedade na qual Hitler surgiu, já recebeu mais de 10 mil visitantes desde sua inauguração na sexta-feira.

Segundo o porta-voz do museu, Rudolf Trabold, 4 mil pessoas estiveram na exposição apenas no primeiro dia.

Alguns visitantes disseram ter esperado entre uma hora e uma hora e meia para entrar na exposição.

Ravi Nair, de 73 anos, disse: "Eu tive que ficar na fila por cerca de uma hora, mas valeu a pena. A exposição deveria ajudar as pessoas em países democráticos a perceberem que seu voto é importante."

Trabold disse que "Hitler e os Alemães" fazia tanto sucesso por ser "a primeira exposição que explica como um homem que viveu às margens da sociedade durante 30 anos, nos albergues de Viena, conseguiu se tornar um líder quase mítico do povo alemão."

"Todos somos afetados por Hitler, portanto (a exposição) tem um sentido para cada um e ajuda alemães e estrangeiros a fazerem as pazes com o passado."

Inge Lonning, um turista norueguês de 72 anos disse: "Eu achei a exposição muito impressionante. Eu queria vê-lo porque eu vivi a ocupação alemã na Noruega quando ainda era uma criança, então não é apenas história para mim."

Mas nem todos estão convencidos de que havia algo de novo a ser aprendido com a exposição.

"Tanta coisa já foi feita sobre esse período ao longo dos anos. Foi como (dizer): eu sabia disso e eu sabia daquilo", disse o canadense Julien Cayer, de 28 anos. "Eu achei que encontraria algo novo, mas não encontrei."

A mídia alemã expressou receios de que a exposição poderia atrair admiradores neonazistas de Hitler, mas Trabold disse que apesar de terem recebido alguns visitantes extremistas, eles não haviam causado nenhum problema.

 
<p>Objetos com su&aacute;stica nazista em exibi&ccedil;&atilde;o em "Hitler e os Alem&atilde;es" no Museu Hist&oacute;rico Alem&atilde;o, em Berlim. 13/10/2010 REUTERS/Fabrizio Bensch</p>