Neozelandeses pedem que "Hobbit' continue a ser filmado no país

segunda-feira, 25 de outubro de 2010 10:17 BRST
 

WELLINGTON (Reuters Life!) - Milhares de pessoas foram às ruas da Nova Zelândia nesta segunda-feira para protestar contra a possibilidade de que os filmes da série "Hobbit" passem a ser produzidos em outro lugar.

Vários manifestantes estavam fantasiados como hobbits ou outros personagens desse universo e levavam cartazes com dizeres como "A Nova Zelândia é a Terra Média" e "Amamos os Hobbits".

Representantes do estúdio Warner Bros. Pictures chegam na terça-feira à Nova Zelândia para decidir onde rodar o novo episódio da lucrativa adaptação da obra de J.R.R. Tolkien, um projeto de meio bilhão de dólares. Uma breve greve no país havia levado os produtores a reverem seus planos.

O diretor Peter Jackson, que é neozelandês, rodou no país a trilogia "O Senhor dos Anéis", o que representou um impulso positivo para a indústria cinematográfica local e a imagem internacional da Nova Zelândia, uma pequena nação na Oceania.

Ele pretendia rodar os dois episódios de "O Hobbit" também na Nova Zelândia, mas um protesto de técnicos contra as condições de trabalho enfureceu o cineasta e enervou os produtores.

A Time Warner disse na semana passada que poderia buscar outra locação, algo que segundo economistas custaria até 1,5 bilhão de dólares à Nova Zelândia.

O sindicato dos técnicos recuou, e analistas acham que a Warner usará essa crise para obter incentivos financeiros do primeiro-ministro John Key, que na segunda-feira disse a jornalistas haver 50 por cento de chances de que a filmagem seja na Nova Zelândia.

"Eu adoraria dizer a vocês que o negócio está fechado, mas estamos longe de fechar o negócio. Há várias questões que precisaríamos resolver", disse ele ao jornal New Zealand Herald.

Entre 2 mil e 3 mil pessoas se reuniram em Wellington, a capital, e em outras cidades para pressionar o estúdio.   Continuação...