Espiã russa fala de amor em primeira entrevista após deportação

segunda-feira, 25 de outubro de 2010 11:32 BRST
 

MOSCOU (Reuters Life!) - A glamourosa espiã russa Anna Chapman declarou à uma revista masculina que gosta dos eternos românticos, em sua primeira entrevista desde que foi deportada aos Estados Unidos em julho.

A ruiva disse que sua categoria favorita de homens são "aqueles que precisam de amor como o maior e mais maravilhoso sentimento de suas vidas", disse ela à revista Maxim, que foi lançada na semana passada.

Chapman, que ficou famosa na mídia depois que foi exposta como espiã, está na capa da edição de novembro da Maxim, usando roupas íntimas de rendas e segurando um revólver de prata.

Em sete páginas, a russa de 28 anos mostra suas famosas curvas em cetim preto e renda vermelha usando sapatos de salto alto. A Maxim a nomeou uma das cem mulheres mais sensuais da Rússia.

Chapman foi deportada pelos Estados Unidos com outras nove pessoas em julho, como parte da maior troca de espiões desde a guerra fria. Ela também disse à Maxim que gosta de homens "que sejam melhores do que eu".

Apesar de receber elogios do Kremlin e da mídia russa, a rede de espionagem da Rússia não teria conseguido obter informações importantes de inteligência antes das detenções nos Estados Unidos.

No início da semana, os espiões receberam a mais alta condecoração do Estado pelo presidente russo Dmitry Medvedev.

(Reportagem de Amie Ferris-Rotman)