Herói de "Hotel Ruanda" é investigado em caso de terrorismo

quarta-feira, 27 de outubro de 2010 15:55 BRST
 

Por Kezio-Musoke David

KIGALI (Reuters) - Paul Rusesabagina, o homem que salvou mais de 1.200 pessoas do genocídio em Ruanda e foi retratado no filme "Hotel Ruanda, indicado para o Oscar, foi indiciado num caso de terrorismo contra uma líder oposicionista ruandesa.

O procurador-geral Martin Ngoga disse à Reuters na quarta-feira que os tribunais do país iriam convocar Rusesabagina porque as investigações indicaram que ele também financiou atividades terroristas pelas quais a líder oposicionista Victoire Ingabire foi presa.

Ingabire, líder das Forças Democráticas Unidas, partido não registrado, foi detida pela polícia ruandesa em 14 de outubro depois de ter sido implicada nas investigações sobre um ex-comandante rebelde do grupo FDLR, também acusado de terrorismo.

Ela se declarou inocente durante uma audiência na segunda-feira e teve negado o pedido de liberdade sob fiança na terça-feira, depois que um tribunal considerou que as acusações contra ela são graves. Ingabire diz que o caso contra ela tem motivação política.

"Temos evidências de que Paul Rusesabagina é um dos outros que financiaram os mesmos rebeldes da FDLR", disse Ngoga.

O papel de Rusesabagina foi interpretado pelo ator Don Cheadle no filme "Hotel Ruanda". Ele agora vive nos Estados Unidos e viaja pelos países ocidentais para falar sobre o genocídio de Ruanda em 1994.

Rusesabagina é um forte crítico do presidente ruandês, Paul Kagame, e diz que a elite da etnia tutsi agora governa o país e que Ruanda corre o risco de ver a violência étnica explodir novamente.

O filme conta a história de Rusesabagina, que era gerente de um hotel e usou seus contatos com a elite hutu para proteger tutsis e hutus moderados que fugiam das milícias.

Ngoga pediu aos Estados Unidos que ajudassem a investigar Rusesabagina.