Marrocos suspende operações da TV Al Jazeera

sexta-feira, 29 de outubro de 2010 12:39 BRST
 

RABAT (Reuters) - O Marrocos disse nesta sexta-feira que suspendeu as atividades da televisão árabe Al Jazeera em seu território, alegando que a decisão foi motivada por reportagens injustas que prejudicaram a reputação do país.

A Al Jazeera já irritou muitos governos no Oriente Médio e no norte da África, onde a mídia interna é muitas vezes sujeita a duras restrições, mas o jornalismo agressivo da emissora é acompanhado via satélite por milhões de pessoas.

O Ministério de Comunicações de Marrocos disse em comunicado que havia observado diversos incidentes nos quais a emissora violou padrões jornalísticos de precisão e objetividade.

A Al Jazeera anunciou no ar que suas operações no Marrocos foram suspensas, mas o porta-voz da emissora disse que não comentaria de imediato. A sede da emissora fica em Doha, capital do Catar.

O comunicado do governo marroquino, divulgado pela agência de notícias oficial MAP, disse que as transmissões da Al Jazeera haviam "distorcido seriamente a imagem do Marrocos e prejudicaram seus interesses, notadamente sua integridade territorial".

O Marrocos é um país de maioria muçulmana, de aproximadamente 30 milhões de pessoas, e governado por um monarca, Mohamed VI. O país tem relações diplomáticas próximas com a Europa e os Estados Unidos.

O grupo Repórteres Sem Fronteiras classifica o Marrocos na 135a posição entre os 178 países no índice de liberdade de imprensa. A organização disse que os jornalistas são frequentemente sujeitos a pesadas multas se divulgarem informações sobre temas tabus da vida pública.