Pintura rara do palácio "perdido" de Henrique 8o vai a leilão

quarta-feira, 3 de novembro de 2010 15:29 BRST
 

Por Stefano Ambrogi

LONDRES, 3 de novembro (Reuters Life!) - Uma pintura de aquarela do palácio "perdido" do rei Henrique 8o datada do século 16, um dos mais antigos e detalhados retratos conhecidos, deve conquistar até 1,9 milhão de dólares em leilão.

O palácio de Nonsuch, que tem quase nenhum resquício remanescente, foi encomendado pelo rei da dinastia Tudor para superar os palácios construídos pelo seu arquirrival, o rei François 1o da França, e para comemorar o nascimento de seu primeiro filho legítimo.

O palácio real, construído como um alojamento para quando o rei fosse caçar, foi batizado de "Nonsuch", pois nenhum outro palácio poderia se igualar a seu esplendor.

Arqueólogos acreditam que a pintura a tinta, giz e aquarela seja o único retrato que restou do verdadeiro palácio.

A casa de leilões Christie's, que leiloará a obra em dezembro, diz que a obra é especial porque foi pintada no local e é um de apenas quatro retratos contemporâneos que foram feitos.

A pintura do artista Joris Hoefnagel, feita em 1568 como registro de uma das construções mais importantes da Europa, foi exibida ao público apenas duas vezes antes, sendo que a última vez foi há 25 anos, nos Estados Unidos.

A construção do Nonsuch em Cuddington, Surrey, na região sudeste da Inglaterra, começou em 1538 e demorou oito anos para ser concluída. O palácio ainda estava incompleto quando Henrique morreu em 1547 e durou menos de 150 anos antes de se tornar em ruínas nos anos 1680.

Em 1690, o palácio já havia desaparecido, e por quase 400 anos sua existência foi imaginada por meio de registros escritos e representações visuais escassas.