Botero e surrealismo latino são destaques de leilões em NY

segunda-feira, 15 de novembro de 2010 20:13 BRST
 

Por Walker Simon

NOVA YORK (Reuters) - Uma obra cubana inspirada no vodu e o retrato de uma família de toureiros feito pelo colombiano Fernando Botero são os principais destaques de leilões de arte latino-americana que acontecem nesta semana nas casas Sotheby's e Christie's, em Nova York.

O leilão da Christie's começa na quarta-feira, e seus especialistas preveem vendas de até 26 milhões de dólares. O da Sotheby's terá início no dia seguinte, e a expectativa é de que arrecade até 27 milhões de dólares, o que seria o melhor resultado para a casa de leilões desde o primeiro semestre de 2008, antes da crise financeira.

"Há uma renovada confiança e energia no mercado", disse Virgilio Garza, diretor de arte latino-americana da Christie's.

A principal peça oferecida pela Sotheby's é a tela "Las Abalochas dansent pour Dhambala, dieu de l'unité", do surrealista cubano Wilfredo Lam. Segundo o catálogo do leilão, o termo "Dhambala" designa, no Haiti, uma divindade do vodu em forma de serpente ou arco-íris. A obra de 1970, que estava no ateliê de Lam, pode arrecadar até 2,25 milhões de dólares.

"Uma das forças do leilão de arte latino-americana é o surrealismo", disse Carmen Melian, chefe de arte latino-americana da Sotheby's.

Em sua obra "Nuesta Señora de Cajica", de 1972, que pode alcançar 800 mil dólares, Botero justapõe símbolos da Virgem Maria e do Jardin do Éden. Uma corpulenta Virgem oferece uma maçã a um menino gordinho, cuja mão segura uma pequena bandeira colombiana. Freirinhas e padres espiam do alto de uma copa de árvore. Uma serpente preta com olhar sombrio se esgueira sob os pés descalços da Virgem.

No leilão da Christie's, a principal peça - com valor estimado em 1,5 milhão de dólares - também é uma obra de Botero, "Retrato de Família", de 1985. A tela mostra três toureiros vestido a caráter, sendo um deles um bebê engatinhando.

Inspirada em visitas ao vulcão mexicano Paracutin, uma obra sem título do chileno Matta, de 1942, vê a Terra como sendo - conforme ele disse na época - "algo incrível, queimando, mudando, se transformando e crescendo".

A obra, que deve chegar a 1,2 milhão de dólares, mistura respingos de tinta e pinceladas de aquarela, com predomínio de vermelhos, verdes e amarelos.

A obra de Matta com maior valor previsto no leilão da Sotheby's, "Children's Fear of Idols II", de 1944, está estimada em até 700 mil dólares.