Astrônomos suspeitam terem flagrado buraco negro

segunda-feira, 15 de novembro de 2010 20:37 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - Uma explosão estrelar vista há mais de 30 anos numa galáxia próxima parece ser na verdade um buraco negro recém-nascido, disseram astrônomos na segunda-feira.

Observações com raios-X sugerem que a supernova, chamada SN 1979C, é um buraco negro em formação, segundo uma equipe de astrônomos dos EUA e da Europa.

"Se nossa interpretação estiver correta, este é o exemplo mais próximo em que o nascimento de um buraco negro foi observado", disse em nota Daniel Patnaude, do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, em Massachusetts, um dos coordenadores do estudo.

O astrônomo amador Gus Johnson, Maryland, viu a supernova em 1979, na beira de uma galáxia chamada M100, e os astrônomos a observam desde então. A luz e os raios-X desse colapso levaram 50 milhões de anos para viajar até a Terra à velocidade da luz - ou seja, a cerca de 10 trilhões de quilômetros por ano.

O Observatório de Raios-X Chandra, da Nasa, o XMM-Newton, da Agência Espacial Europeia, e o observatório Rosat, da Alemanha, viram a supernova emitir uma fonte constante de raios-X brilhantes.

A análise dos raios-X sustenta a ideia de que o objeto é um buraco negro, e que esteja sendo alimentado por material oriundo de uma supernova inicial, ou talvez de uma estrela-gêmea, segundo os astrônomos.

Os cientistas acreditam que os buracos negros podem se formar de várias formas - neste caso, por uma estrela com cerca de 20 vezes a massa do Sol se tornando uma supernova e então entrando em colapso e se tornando um objeto tão denso que é capaz de sugar tudo o que o cerca - até a luz, daí o nome - para o seu núcleo.

Mais detalhes da descoberta (em inglês) podem ser vistos no site chandra.harvard.edu.