Crise financeira prejudica luta contra aids, diz Bono, do U2

terça-feira, 30 de novembro de 2010 14:52 BRST
 

Por James Regan

SYDNEY (Reuters) - Os tempos difíceis vividos pelos países desenvolvidos estão afetando os esforços para conter a disseminação da aids pelo mundo, disse o vocalista Bono, do U2, nesta terça-feira.

"Os tempos estão difíceis no mundo ocidental", declarou à Reuters o astro do rock e ativista irlandês, após o lançamento, na Opera House, em Sydney, do Dia Mundial de Luta contra a Aids, marcado em todo o mundo em 1 de dezembro.

Bono disse que as agências voltadas ao combate à síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids) "lutam duro por financiamento" quase três décadas depois que a doença foi diagnosticada pela primeira vez.

Ele afirmou ser necessário dispor de mais dinheiro para cumprir a meta estabelecida pelo Fundo Mundial a fim de eliminar a transmissão do HIV das grávidas para os fetos até 2015.

De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), mais de mil bebês nascem diariamente na África com o HIV e cerca de metade das mulheres HIV-positivas na África não obtém as drogas necessárias para evitar a transmissão do vírus aos seus bebês.

"Em tempos de recessão, as pessoas têm de dizer aos políticos que isso é importante para elas", afirmou Bono.

Estima-se que 33,3 milhões de pessoas em todo o mundo tinham o vírus da imunodeficiência humana (HIV) em 2009, de acordo com os números mais recentes divulgados pela Unaids. Havia 26,2 milhões em 1999.

"Algumas pessoas acham que a pandemia está acabando e que o trabalho já foi feito", disse Bono. "Mas não é assim."

(Reportagem James Regan)