Flórida concede indulto a Jim Morrison

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 11:49 BRST
 

Por Michael Peltier

TALLAHASSEE, EUA (Reuters) - O ícone do rock Jim Morrison foi perdoado na quinta-feira pelo conselho de clemência da Flórida por exposição indecente em um concerto turbulento em 1969, um ato que, segundo o falecido cantor e muitas pessoas que estiveram presentes ao show, nunca aconteceu.

O governador Charlie Crist, que está em final de mandato, e o conselho de clemência votaram por unanimidade a favor do perdão para o vocalista do The Doors, que teria completado 67 anos em 8 de dezembro.

Conhecido pelo apelido "Lizard King", Morrison virou símbolo dos turbulentos e sexualmente carregados anos 1960. Ele foi condenado por exposição indecente e uso de linguagem chula e sentenciado a 6 meses de prisão.

Morrison nunca chegou a cumprir a pena; estava recorrendo contra a condenação quando morreu, em 1971, em Paris, aos 27 anos de idade. A causa da morte foi ataque cardíaco, mas sempre se suspeitou de drogas.

Os fãs de Morrison vinham havia tempo exortando o governador Crist, fã do Doors cujo mandato chega ao fim em janeiro, a indultar Morrison pelo incidente, que teria ocorrido durante um concerto no auditório Dinner Key, em Miami.

Embriagado, o cantor insultou fãs durante a apresentação. Embora muitas fotos tenham sido feitas do concerto, nenhuma delas comprova as acusações de que Morrison tenha exposto seu pênis e simulado uma masturbação.

Morrison admitiu ter usado linguagem chula, mas negou as outras acusações. Durante seu julgamento, alguns dos presentes ao show disseram ter visto os atos alegados, mas outros declararam que ficaram até o final da apresentação e não viram nada.

 
<p>O Doors &eacute; visto em foto sem data. O &iacute;cone do rock Jim Morrison foi perdoado na quinta-feira pelo conselho de clem&ecirc;ncia da Fl&oacute;rida por exposi&ccedil;&atilde;o indecente em um concerto turbulento em 1969.</p>