Voz no novo álbum de Michael Jackson está longe de perfeita

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010 12:03 BRST
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - As gravações da voz de Michael Jackson num álbum novo que está sendo lançado esta semana estavam longe da qualidade ótima desejada e precisaram de muito aperfeiçoamento digital, revelou um dos principais produtores do disco.

Mas Teddy Riley, que trabalhou com o Rei do Pop em vários álbuns, acha que o álbum "Michael" vai virar um clássico, apesar de não equiparar-se à qualidade da época áurea de Jackson, no final dos anos 1970 e início dos anos 1980.

"Precisei processar mais a voz, e é por isso que as pessoas estão questionando a autenticidade dela", disse Riley à Reuters, falando do primeiro álbum de materiais novos de Michael Jackson desde a morte repentina do cantor, 18 meses atrás.

O projeto está cercado de controvérsia desde que alguns familiares de Jackson questionaram a autenticidade da voz em algumas das faixas, segundo foi divulgado, e o advogado do pai de Jackson disse que o cantor, que era um perfeccionista, jamais teria desejado que a música fosse lançada.

"Ele (Jackson) não teria visto isso como o vocal final", disse Riley. "Mas, como não está mais conosco, ele não pode nos dar novos vocais. O que fizemos foi usar a tecnologia Melodyne para colocá-lo na afinação certa."

"Com o Melodyne, elevamos o tom da voz, e é por isso que alguns dos vibratos soam um pouco desafinados ou processados demais. Pedimos desculpas por isso, mas o que vocês ouvem ainda é o verdadeiro Michael Jackson."

Riley trabalhou em três das dez canções do álbum - "Hollywood Tonight", "Monster" e "Breaking News".

As duas últimas, além da faixa "Keep Your Head Up", foram gravadas em 2007 na casa da família Cascio em Nova Jersey.   Continuação...