ESTREIA-Comédia italiana ironiza preconceitos contra os gays

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010 13:59 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Sair ou não do armário, eis a questão para Tommaso Cantone (Riccardo Scamarcio), protagonista da comédia italiana "O Primeiro que Disse".

Um dos herdeiros de um pastifício tradicional em Lecce, sul da Itália, há muito tempo Tommaso vive em Roma. Segundo pensam os pais, estuda Administração e logo deve voltar para ocupar seu posto na empresa, casar e ter filhos.

Na verdade, o jovem estuda literatura, vive com o namorado, Marco (Carmine Recano) e tudo o que quer da vida é tornar-se escritor.

Aproveita uma viagem de volta para tentar resolver o impasse, contando a verdade à família e vivendo feliz longe dela - já que acredita que sua confissão implicará ser expulso do lar paterno.

Tommaso anuncia seus planos ao irmão, Antonio (Alessandro Preziosi), que há anos administra a empresa com o pai. É com surpresa, no entanto, que Tommaso assiste ao irmão anunciar a sua homossexualidade primeiro, no jantar que era para ser a sua revelação.

O pai, Vincenzo (Ennio Fantastichini), passa mal, segue-se um pequeno escândalo. Tommaso vê-se no incômodo papel de continuar bancando o "filho certinho" que fica obrigado, daí em diante, a conduzir a empresa.

A viagem de libertação vira uma armadilha pois Tommaso acha que, se levasse adiante seu plano, mataria o pai, sulista e conservador e, quem sabe, também a mãe carola (Lunetta Salvino). O rapaz passa a trabalhar no pastifício, que neste momento está recebendo novos sócios, os Brunetti, tendo à frente a bela Alba (Nicole Grimaudo).

O pai não esconde o quanto gostaria que Tommaso e Alba se casassem - mas Alba não é tão cega quanto Vincenzo. Ela até se torna amiga e confidente de Tommaso, já que os dois não se largam, por conta da total inexperiência do rapaz nos negócios.

O futuro do romance com Marco, que telefona com frequência, no entanto, parece incerto.   Continuação...