Warner Bros. é campeã do mercado de estúdios em 2010

terça-feira, 4 de janeiro de 2011 16:32 BRST
 

Por Pamela McClintock

LOS ANGELES (Hollywood Reporter) - A Warner Bros. ficou em primeiro lugar no ranking dos estúdios de cinema de Hollywood em participação de mercado pelo terceiro ano seguido em 2010, apesar da queda de bilheteria e da estagnação do mercado em geral.

O estúdio conquistou a primeira posição na América do Norte com ganhos líquidos de 1,89 bilhão de dólares, ou 18,3 por cento do total da receita.

Os filmes mais bem-sucedidos foram "A Origem" (292,5 milhões de dólares) e "Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1" (283 milhões de dólares). Em 2009, o estúdio ficou com uma fatia de 19,8 por cento e uma receita total de 2,1 bilhões de dólares.

A receita total de bilheterias em 2010 ficou um pouco abaixo do 10,57 bilhões de dólares, uma queda de menos de 1 por cento em relação ao recorde de 10,6 bilhões de dólares de 2009.

Foi a segunda vez na história que a receita no mercado dos EUA ultrapassou os 10 bilhões de dólares. Entretanto, houve uma redução de público de mais de 5,2 por cento em 2010 em relação ao ano anterior -- a maior queda em uma década.

A discrepância é atribuída ao aumento de preço dos ingressos, alimentado pelos lançamentos em 3D, de uma média de 7,46 dólares para 7,85 dólares em 2010 (no meio do ano, o preço médio saltou para 7,95 dólares, depois caiu novamente para 7,85 dólares).

A Paramount ficou em segundo lugar em 2010, com 16,1 por cento do mercado, com receita de 1,67 bilhão de dólares. Seus maiores sucessos foram filmes distribuídos para outros estúdios, "Homem de Ferro 2", da Marvel (312 milhões de dólares), e a animação da DreamWorks "Shrek para Sempre" (238 milhões de dólares).

Graças a "Avatar", a 20th Century Fox ficou na terceira posição, com 1,45 bilhão de dólares e 14 por cento do mercado. A Disney ficou em quarto lugar, com 1,4 bilhão de dólares e 13,6 por cento do mercado, enquanto a Sony ficou em quinto, com 1,26 bilhão de dólares e 12,3 por cento.

A Universal teve um ano difícil, mantendo-se na sexta posição, com 8,2 por cento do mercado e uma receita de 842,2 milhões de dólares.