ESTREIA-Animação "Enrolados" faz releitura pop de Rapunzel

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011 12:21 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Lembra-se de Rapunzel? A garota da longas tranças loiras que as jogava pela janela de uma torre onde estava presa? Pois é, ela ainda está lá, seus cabelos ainda são longos, mas o seu senso de humor...ah, esse é completamente diferente.

Esqueça aquela noção de contos de fada de donzelas sofredoras e choronas, herois valentes e paixões puras - uma visão que a Disney ajudou a perpetuar ao longo das décadas.

"Enrolados" subverte esses clichês, embora a paixão pura continue mais ou menos ingênua, já que se trata de um filme infanto-juvenil.

Em sua 50a animação, a Disney deixa de lado o conservadorismo e faz de "Enrolados" um filme repleto de humor sagaz e um colorido vibrante. Ele está sendo lançado em todo o Brasil tanto no formato convencional como 3D, mas apenas em cópias dubladas.

Em várias ocasiões anteriores em que o estúdio resolvera fazer releituras de temas clássicos, os resultados foram um tanto decepcionantes, como no caso de "Planeta do Tesouro", por exemplo.

Aqui, o roteiro assinado por Dan Fogelman ("Carros", "Bolt - Supercão") mantém a base clássica - princesa mantida em cativeiro por mulher má que se passa por sua mãe para usar seus cabelos mágicos que lhe garantem juventude - e a subverte com personagens longe da idealização dos contos.

Como toda boa adolescente, ela tem terríveis flutuações de humor. Rapunzel (dublada por Sylvia Salustti) é uma garota hiperativa, mesmo confinada à sua torre.

O mundo exterior, diz a sequestradora que ela pensa ser sua mãe, é cruel e perigoso. Assim, seu único amigo é um camaleão.

A chegada do ladrão Flynn Ryder (dublado por Luciano Huck) é a mudança que ela não esperava, mesmo que ansiasse por algo de novo. Ele é um ladrão foragido que precisa a todo custo se esconder.   Continuação...