Livros de Paulo Coelho são proibidos no Irã, diz escritor

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 13:26 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O escritor Paulo Coelho, autor brasileiro mais vendido no mundo, denunciou nesta segunda-feira que seus livros foram proibidos no Irã e disse que espera a ajuda do governo brasileiro para solucionar a questão.

Coelho publicou em seu blog (www.paulocoelhoblog.com) um email enviado por seu editor no Irã para informá-lo sobre a decisão do Ministério da Cultura e Orientação Islâmica do Irã de banir todos os livros do autor.

"Eu, sinceramente, espero que o governo brasileiro se pronuncie a respeito", escreveu Coelho no blog.

Segundo o autor, seus livros são publicados no Irã desde 1998 e mais de seis milhões de cópias já foram vendidas no país. Coelho afirma que o incidente "só pode ser um mal-entendido".

Ele cita, no entanto, o episódio de 2009 em que uma mulher morreu durante manifestações populares contra o resultado das eleições. O editor de Coelho no Irã, Arash Hejazi, foi gravado tentando salvar a mulher, num caso que ganhou enorme repercussão internacional.

Paulo Coelho é o autor brasileiro de maior sucesso internacional, com pelo menos 300 milhões de livros vendidos em mais de 150 países.

Coelho informou que vai disponibilizar todos os seus livros de forma gratuita na Internet no idioma persa, falado no Irã.

O brasileiro foi o primeiro escritor não muçulmano a visitar o Irã após a Revolução Islâmica de 1979, de acordo com o site da Academia Brasileira de Letras, em que ele ocupa a cadeira 21.

(Por Pedro Fonseca)

 
<p>Paulo Coelho &eacute; o autor brasileiro mais vendido no mundo. 18/09/2008 REUTERS/Charles Platiau</p>