Filme italiano sobre político louco por sexo: verdade ou ficção?

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 15:46 BRST
 

ROMA (Reuters) - Um filme italiano que acaba de ser lançado mostra um político bombástico que adora sexo fácil e odeia justiça. Porém, com o primeiro-ministro na vida real mergulhado em um escândalo de prostituição, a crítica diz que a realidade política atual está mais estranha que a ficção.

A comédia "Qualunquemente" chega aos cinemas italianos nesta semana, justamente quando o premiê Silvio Berlusconi enfrenta um clamor crescente provocado por alegações de que ele pagou por sexo com prostitutas. Berlusconi afirma que as acusações são absurdas e foram inventadas por magistrados parciais.

O filme gira em torno de "Cetto La Qualunque", pequeno criminoso foragido da justiça que retorna à sua cidade natal na Calábria, no sul do país, e se candidata a prefeito para combater o que considera ser uma onda perigosa de lei e ordem que está varrendo a cidade.

Cercado por mulheres seminuas, Cetto faz sua campanha eleitoral baseada em um slogan intencionalmente chocante: "Não tenho sonho, mas gosto de perereca."

Fora da campanha, Cetto faz festas com mulheres de topless em uma piscina, anda com prostitutas e, em tom de admiração, diz a uma mulher de biquíni: "Com seu corpo lindo, você tem qualificações para ser vereadora."

Vindo no momento em que a Itália encara relatos vazados sobre festas desvairadas de "bunga bunga" na casa de Berlusconi com prostitutas convocadas por uma showgirl que se tornou vereadora, o filme vem atraindo muita atenção e muitos risos.

"O diretor nos assegura que é um filme 'muito engraçado', mas a verdade que não há muito do que rir, porque agora, mais que nunca, a realidade superou a ficção", escreveu a crítica de cinema Fulvia Caprara no jornal La Stampa.

"Os horrores vulgares da telona não são nada comparados aos que vemos mencionados nos relatos vazados aos jornais."

(Reportagem de Deepa Babington)