Múmias do Egito estão a salvo, diz arqueologista-chefe

domingo, 6 de fevereiro de 2011 14:48 BRST
 

LONDRES (Reuters) - Nenhuma das múmias no principal museu arqueológico do Cairo sofreu danos durante a invasão ocorrida na semana passada em meio a protestos de manifestantes, as outras 70 peças precisarão ser restauradas, disse Zahi Hawass, o principal arqueologista do Egito.

Jornalistas haviam reportado que duas múmias haviam sido danificadas em meio à pior crise política no Egito em décadas, e que a informação teria sido dada por Hawass.

Em entrevista à BBC neste domingo, ele disse que esse não foi o caso.

"Não eram múmias, eram dois esqueletos tirados de máquinas de scanner. Tudo voltará ao normal no museu do Cairo hoje", disse Hawass, principal responsável pelas relíquias do Egito desde 2002.

As relíquias faraônicas são uma parte crucial da indústria de turismo no Egito, e os protestos no Cairo geraram temores de que o país possa sofrer a mesma perda de herança cultural que ocorreu no Iraque em 2003, depois da queda de Saddam Hussein.

Os tesouros culturais do Egito estão seguros, disse Hawass. "O Vale dos Reis está seguro, as pirâmidas estão seguras, 24 museus estão seguros, as sinagogas e monastérios estão seguros e os monumentos muçulmanos estão seguros", ele afirmou.