ESTREIA-"Incêndios" une amor e política no Oriente Médio

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011 08:26 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - "Incêndios", de Denis Villeneuve, representante canadense na competição pelo Oscar de filme estrangeiro no domingo, poderia facilmente ter obtido também uma indicação de melhor atriz para a belga Lubna Azabal. Ela interpreta a protagonista, Nawal Marwan, enredada numa trágica história, unindo amor e política no Oriente Médio.

O autor da peça que inspirou o filme é o libanês radicado no Canadá Wadji Mouawad. Por isso, torna-se claro que as referências políticas de "Incêndios" são do Líbano, embora o filme nunca identifique claramente o país de origem de seus acontecimentos.

O enredo tem seu ponto de partida no Canadá, onde um tabelião, Jean Lebel (Rémy Girard, de "As Invasões Bárbaras"), convoca ao seu escritório os irmãos gêmeos Simon (Maxim Gaudette) e Jeanne Marwan (Mélissa Désormeaux-Poulin) para a leitura do testamento da mãe, Nawal.

Nawal deixou expressa uma estranha condição - que seu sepultamento não seja completado antes que os filhos entreguem duas cartas. Uma, para um irmão, cuja existência desconheciam. Outra para o pai, que julgavam morto.

Simon quer rebelar-se contra as instruções. Mas Jeanne decide rapidamente buscar as pistas necessárias para cumprir a vontade da mãe. Nesta tarefa, encontra os indícios que vão, pouco a pouco, reconstituindo a impressionante biografia de sua mãe.

Ainda jovem, Narwan engravidou do namorado, que foi morto por seu irmão, por desonrá-la. Ela mesma só não foi morta por ter sido protegida pela avó, permanecendo em casa por todo o período da gravidez.

Quando dá à luz um menino, é obrigada a renunciar a ele e partir. Ela nunca desistirá de procurá-lo em orfanatos e campos de refugiados num país abalado por guerras religiosas, opondo cristãos e muçulmanos. Narwan é cristã e, não raro, tem que ocultar o crucifixo que carrega no pescoço para salvar sua vida.

Vivendo em tempos de conflagração, a própria Narwan envolve-se na luta política e termina sendo presa. Um duríssimo período na prisão dá origem a desdobramentos ainda mais dramáticos na história da mulher.

Dificilmente alguém vai antecipar a intrincada conclusão da trama, que revela de maneira contundente segredos do passado de Narwan e do próprio nascimento de seus filhos. "Incêndios" sintetiza de forma exemplar como os ódios religiosos e os desmandos políticos podem transformar em tragédia a vida de muitos.

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
<p>Diretor do filme "Inc&ecirc;ndios", Denis Villeneuve, no Festival de Sundance, em janeiro. 25/01/2011 REUTERS/Mario Anzuoni/Arquivo</p>