Morre atriz francesa Annie Girardot aos 79 anos

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011 16:13 BRT
 

PARIS, 28 de fevereiro (Reuters Life!) - A estrela de cinema francesa Annie Girardot, cujos retratos sensíveis de mulheres oprimidas, feitos nos anos 1970, lhe valeram a reputação de antítese de Brigitte Bardot, morreu na segunda-feira aos 79 anos depois de sofrer do mal de Alzheimer havia muito tempo.

Nascida em Paris em 1931, Girardot estudou para ser enfermeira, antes de se tornar uma das atrizes mais prolíficas da França, com mais de 120 filmes em seu currículo, incluindo o clássico neo-realista de Luchino Visconti "Rocco e Seus Irmãos", de 1960, em que ela representou a prostituta Nadia.

"Hoje o cinema francês chora a morte de uma de suas pessoas mais amáveis, mais respeitadas e mais notáveis", disse a jornalistas o ministro da Cultura, Frederic Mitterrand.

Vista na França como símbolo do movimento feminista, devido a seus papéis em que representava mulheres de vontade forte lutando contra dificuldades enormes, sua imagem de "mulher comum" contrastava com as beldades sexies da época, com suas caras e bocas, e lhe valeu a admiração de uma legião de fãs mulheres.

"Todas as mulheres se identificavam com ela", disse à televisão iTele um ator francês da mesma época, Jean Rochefort.

Girardot recebeu o prêmio francês César de melhor atriz por seu papel de médica abandonada por seu marido e seu amante no filme de 1976 "Dr. Françoise Gailland."

Depois de vários anos ausente das telas, seu retorno nos anos 1990 com "Os Miseráveis" lhe valeu um César de melhor atriz coadjuvante, prêmio que ela voltou a receber em 2002 pelo papel de mãe tirânica de Isabelle Huppert em "A Professora de Piano", de Michael Haneke.

Girardot casou-se com o ator italiano Renato Salvatori, com quem contracenou em "Rocco e Seus Irmãos" e com quem teve uma filha. Seu relacionamento era turbulento, e mais tarde eles se separaram, mas nunca se divorciaram.

(Reportagem de Elizabeth Pineau e Vicky Buffery)

 
<p>A atriz Francesa Annie Girardot sofria do mal de Alzheimer havia muito tempo. 27/11/2006 REUTERS/ Charles Platiau</p>