Dia da Liberdade Musical saúda manifestantes árabes

quinta-feira, 3 de março de 2011 11:35 BRT
 

Por Jason Rhodes

ZURIQUE, 3 de março (Reuters Life!) - Músicos no Oriente Médio vão fazer uma homenagem ao levante árabe e lembrar a morte de um músico egípcio nas manifestações do Cairo, como parte do Dia internacional da Liberdade Musical, nesta quinta-feira.

O Dia da Liberdade Musical, idealizado pela organização independente Freemuse, que defende a liberdade de expressão para criadores musicais em todo o mundo, vai reunir artistas em 20 países para destacar a situação de colegas em todo o mundo que são vítimas de censura, detenção ou até mesmo morte.

"Pode não ser difícil silenciar o músico individual, mas é impossível silenciar suas canções", disse à Reuters pelo telefone um cofundador da Freemuse, Ole Reitov. "Já vimos isso com muitas das canções ou dos cantores que tiveram problemas: podem prender os músicos, mas suas canções sobrevivem de alguma maneira."

O evento começou com concertos em Mumbai e Cabul e será encerrado com uma sessão em Nova York e transmissões especiais no Canadá. Haverá eventos no Egito e Líbano em homenagem ao músico egípcio Ahmed Basiouni, que morreu no quarto dia das manifestações no Cairo este ano.

A Freemuse foi fundada no final dos anos 1990 para documentar a censura na música, promover a conscientização do problema e oferecer apoio a músicos e suas famílias.

"Artistas de todo o mundo se manifestavam em favor de coisas de todo tipo, mas nunca a respeito das próprias condições de vida e trabalho. Tínhamos escritores falando em defesa de Salman Rushdie, mas nunca ouvimos Bono, Youssou N'Dour ou ninguém mais falando da repressão que atingiu alguns de seus colegas", disse Reitov, de seu escritório em Copenhague.