Violinos raros retornam da Rússia à Itália para concerto em Roma

quarta-feira, 23 de março de 2011 15:11 BRT
 

Por Philip Pullella

ROMA (Reuters Life!) - Para os amantes da música, ouvir virtuoses do violino e violoncelo tocando um instrumento de Stradivarius ou Guarnieri já seria um vislumbre do paraíso, mas ouvir uma dúzia ao mesmo tempo é uma oportunidade única na vida.

Foi precisamente a oportunidade que teve uma plateia em Roma na noite de terça-feira, quando o violinista italiano Uto Ughi, o russo Yuri Bashmet e outros tocaram Mozart, Paganini e Tchaikovsky em instrumentos dos séculos 16, 17 e 18.

Os 13 instrumentos preciosos - sete violinos, três violas e dois violoncelos - foram emprestados pelo Museu Central Estatal Glinka de Cultura Musical, em Moscou, e tocados em público.

"Sempre foi meu sonho trazer estes instrumentos de volta para serem tocados no país onde nasceram", disse Bashmet ao público.

De fato, a simples visão dos instrumentos raros deixou alguns membros da plateia do auditório Conciliazione hipnotizados, como se estivessem contemplando uma visão sagrada.

Entre os instrumentos, cinco foram criados pela família Stradivari, dois pela família Guarnieri, um pela família Amati e outros por luthiers individuais.

A maioria dos instrumentos foi feita na cidade de Cremona, no norte da Itália, cujo nome é sinônimo de violinos e violoncelos perfeitos.

Ughi, 67, e Bashmet, 58, tocaram como solistas ao lado da Orquestra de Câmara de Solistas de Moscou, de 24 integrantes, fundada por Bashmet em 1992 e dirigida por ele.   Continuação...