Republicanos britânicos acham que casamento real vai ajudá-los

quinta-feira, 31 de março de 2011 12:40 BRT
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - Mencione o casamento real, e os olhos de Graham Smith, principal lobista britânico em favor da abolição da monarquia, vão brilhar.

Diferentemente de muitos outros britânicos, o líder do grupo Republic não vai festejar o patriotismo e a pompa do casamento do príncipe William com Kate Middleton, em 29 de abril.

Ele não vai agitar uma bandeira inglesa juntamente com as centenas de milhares de pessoas que devem lotar as ruas de Londres para tentar vislumbrar o jovem casal.

Em vez disso, Smith vê o casamento como oportunidade perfeita para expor o que ele vê como sendo uma instituição anacrônica que não tem lugar em uma democracia do século 21, especialmente em um momento em que os súditos reais passam por dificuldades financeiras.

"É bom para nós, porque conquistamos milhares de novos adeptos, novos membros, novas doações, e atraímos mais interesse da mídia", disse Smith.

"É a indiferença que mantêm a monarquia, não o apoio e o amor. Essas cerimônias grandiosas levam as pessoas a refletir sobre o assunto outra vez."

Smith duvida que a cerimônia de abril na Abadia de Westminster suscite o mesmo grau de interesse que o casamento dos pais de William, em 1981, ou o funeral da mãe dele, a princesa Diana, em 1997.

O casamento de 1981 atraiu um público estimado de 600 mil pessoas em Londres e um público televisivo global de 750 milhões de espectadores. Mais de 1 milhão de pessoas compareceram para prestar seus respeitos no funeral de Diana.   Continuação...