Universidade em Berlim oferece vaga ao artista chinês Ai Weiwei

quarta-feira, 20 de abril de 2011 12:14 BRT
 

BERLIM (Reuters) - O artista e ativista de direitos humanos chinês Ai Weiwei, detido em Pequim, recebeu uma oferta para lecionar na Universidade de Artes de Berlim, disse a instituição nesta quarta-feira.

O proeminente artista e crítico do Partido Comunista da China foi impedido de embarcar em um avião de Pequim para Hong Kong em 3 de abril e foi detido pela polícia.

Sua detenção gerou críticas dos governos do Ocidente por conta do tratamento recebido por ativistas de direitos humanos.

A polícia chinesa disse que Ai, de 53 anos, estava sob investigação por "supostos crimes econômicos", e informações na mídia estatal alegaram que ele estava sonegando impostos.

A oferta da universidade estava sendo elaborada desde dezembro. No mês passado o artista disse que planejava abrir um estúdio em Berlim como sua base na Europa.

Seu trabalho "Sunflower Seeds" (sementes de girassol), uma instalação com milhões de sementes artesanais de porcelana, está atualmente em exibição no museu Tate Modern, na Grã-Bretanha. Os 100 quilos de sementes de porcelana foram vendidos por 349,250 libras (570,800 dólares) em um leilão em Londres, em fevereiro.

(Reportagem de Eric Kelsey)