20 de Abril de 2011 / às 15:48 / 6 anos atrás

ESTREIA-Animação "Hop" conta história de coelho da Páscoa

<p>Ator Hank Azaria, com seu filho, na estreia do filme "Hop - Rebeldes sem P&aacute;scoa" em Los Angeles. 27/04/2011Phil McCarten</p>

SÃO PAULO (Reuters) - Alguém já se perguntou por que existem tantos filmes sobre Papai Noel e praticamente nada sobre o coelho da Páscoa? A resposta vem pulando em "Hop - Rebeldes sem Páscoa", misto de animação e live action que estreia apenas em cópias dubladas.

Adultos infantilizados, animais humanizados e três coelhas que agem como as personagens de "As Panteras" estão no cardápio oferecido pelo filme.

Não é surpresa que a direção seja de Tim Hill, diretor de "Alvin e os Esquilos". Em "Hop - Rebeldes sem Páscoa", aliás, o diretor esforça-se muito para copiar a franquia lucrativa, mas o novo filme é bem mais sem graça.

Ao centro da trama estão dois filhos pródigos -- E. B, um coelho que quer ser estrela do rock, e Fred O'Hare (James Marsden), que se tornou o primeiro humano coelho da Páscoa. Resume-se a isto a história do filme.

E. B. mora na Ilha de Páscoa com o pai e, curiosamente, não tem irmãos, o que é raro para um coelho. Ele é o herdeiro de uma fábrica de doces, operada por pintinhos, que produz guloseimas que serão entregues pelo coelho da Páscoa no mundo todo -- "menos na China, mas só por enquanto", alerta o pai.

Longe dali, em Los Angeles, Fred é o filho-problema que só dá desgosto aos pais (Gary Cole e Elizabeth Perkins). Sem emprego nem perspectivas, ele atropela E. B, que foi para a cidade em busca de fama.

Os dois passam a morar juntos e ajudar-se mutuamente. O rapaz tenta uma vaga numa empresa de videogames e o animalzinho, num show de talentos. Já na Ilha de Páscoa, os pintinhos, incitados por um líder com sede de poder, rebelam-se contra anos de exploração e pretendem dar o troco -- e não será com bicadas.

Há poucos momentos engraçados e não justificam a existência do filme. Os pintinhos, liderados pelo megalomaníaco Carlos, roubam a cena -- o que pode ser uma vingança da espécie defendendo suas fêmeas, uma vez que coelhas não botam ovos mas levam a fama durante a Páscoa.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below