Mel Gibson rompe silêncio sobre escândalo de violência doméstica

sexta-feira, 22 de abril de 2011 16:11 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - O ator e diretor Mel Gibson rompeu o silêncio sobre o escândalo em que está envolvido, relacionado à violência doméstica, classificando o vazamento de telefonemas furiosos à sua então namorada no ano passado de "traição pessoal."

O diretor de "Coração Valente," filme premiado com um Oscar, descreveu as fitas -- nas quais pode ser ouvido xingando e ameaçando a namorada russa Oksana Grigorieva -- como "terrivelmente humilhantes e dolorosas para minha família."

Gibson acrescentou que ele não se importa se jamais voltar a atuar.

"Eu não me importo se eu não atuar mais", disse ele. "Eu poderia facilmente não atuar novamente. Isto não é um problema".

"Eu nunca tratei mal ninguém nem discriminei por causa de gênero, raça, religião ou sexualidade -- ponto final," disse Gibson à jornalista Allison Hope Weiner numa longa entrevista ao site Deadline Hollywood na sexta-feira.

No mês passado, Gibson não contestou a acusação de agredir Grigorieva, mãe de sua filha, quando o relacionamento acabou, no começo de 2010.

Ele foi condenado a três anos de condicional, um ano de aconselhamento e serviços comunitários.

Em seus primeiros comentários públicos sobre o caso, Gibson disse que as fitas dos telefonemas vazados há um ano foram editadas, acrescentando: "Esse é um momento terrível e horroroso, dito a uma pessoa, no intervalo de um dia e não representa o que de fato eu acredito ou como eu tratei as pessoas durante toda a minha vida."

"Quem iria prever ser gravado? Quem poderia prever uma traição pessoal como essa?," disse Gibson.

O empresário de longa data do ator o abandonou, o filme "The Beaver" foi adiado por meses e os atores da sequência do filme de comédia "Hangover 2" se recusaram a trabalhar com ele por causa dos comentários sexistas e racistas das fitas.

(Reportagem de Jill Serjeant)