Trabalho de artista chinês detido é inaugurado em Nova York

quarta-feira, 4 de maio de 2011 16:36 BRT
 

Por Bernd Debusmann Jr.

NOVA YORK (Reuters) - Doze grandes cabeças de bronze de animais criadas pelo artista chinês encarcerado Ai Weiwei foram apresentadas ao público em Nova York na quarta-feira pelo prefeito Michael Bloomberg, que descreveu a ocasião como "doce e também amarga."

Não se têm notícias de Weiwei, de 53 anos, desde que ele foi detido pelas autoridades chinesas no aeroporto de Pequim em 3 de abril, fato que motivou fortes críticas internacionais. As autoridades chinesas disseram que ele está sendo investigado por crimes econômicos, mas não divulgaram detalhes específicos.

"Os artistas arriscam tudo para criar. Correm o risco de fracasso, de rejeição, de críticas públicas", disse Bloomberg. "Mas artistas como Ai Weiwei, que vêm de lugares que não valorizam e protegem a liberdade de expressão, correm riscos ainda maiores."

"O fato de que não sabemos onde ele está nem quando será libertado é muito perturbador", afirmou.

Weiwei estava previsto para estar presente na abertura da exposição, intitulada "Círculo de Animais." A obra exposta no Central Park, em Manhattan, é composta de 12 cabeças de bronze de animais, representando as 12 personalidades do zodíaco chinês.

Cada uma das cabeças de animais tem 1,2 metro de altura, pesa cerca de 363 quilos e fica sobre uma grande base de mármore. As cabeças foram inspiradas pelo desenho do relógio-fonte de Yuanming Yuan, um retiro imperial do século 18 nas proximidades de Pequim.

Weiwei é conhecido principalmente por trabalhos de grande destaque como o estádio olímpico "Ninho do Pássaro", em Pequim, e "Sementes de Girassol", trabalho exposto em Londres e que consiste em 100 milhões de sementes de porcelana pintadas à mão.