Irã permite que cineasta condenado viaje para o exterior

terça-feira, 17 de maio de 2011 19:04 BRT
 

TEERÃ (Reuters) - O Irã suspendeu a proibição de viajar do cineasta condenado Mohammad Rasoulof, que foi homenageado no festival de Cannes deste ano, de acordo com declarações do seu advogado publicadas em reportagens nesta terça-feira.

Rasoulof foi preso junto com o aclamado diretor de cinema Jafar Panahi em março do ano passado depois de apoiar o líder de oposição Mirhossein Mousavi durante a disputada eleição presidencial no país em 2009.

Os dois foram acusados de "ações e propaganda contra o sistema" e foram condenados em dezembro a seis anos de prisão e proibidos de dirigir filmes ou viajar ao exterior por 20 anos.

"A proibição de viagens contra o meu cliente foi retirada.... mas porque o seu filme já foi mostrado no festival de Cannes. Não está definido se ele vai viajar para lá", disse o advogado de Rasoulof, Iman Mirzazadeh, de acordo com a agência de notícias ISNA.

Organizadores de Cannes disseram que o filme "Good Bye" de Rasoulof -- a história de um jovem advogado de Teerã que está tentando um visto para deixar o Irã - e "This is not a film", de Panahi -- que descreve um dia em sua vida enquanto ele espera pelo veredicto da apelação -- serão mostrados no festival que começou semana passada.

O festival também terá apresentação do premiado filme de Panahi "Carruagem de Ouro", premiado pela associação de diretores SRF, um tributo às "qualidades inovadoras, coragem e independência" do seu trabalho, disse a SRF.