Homens continuam a se comportar mal em "Se Beber, Não Case 2"

terça-feira, 24 de maio de 2011 17:32 BRT
 

Por Iain Blair

LOS ANGELES (Reuters) - Esqueça aquele ditado segundo o qual comédias não são respeitadas.

O diretor Todd Phillips demoliu esse mito em 2009 com seu blockbuster malicioso "Se Beber, Não Case", que arrecadou espantosos 468 milhões de dólares, tornando-se a comédia de classificação R (menores de 17 anos só podiam vê-la acompanhados de um responsável) de maior sucesso de todos os tempos.

Agora o diretor está de volta com "Se Beber, Não Case Parte! Parte 2", que estreia nos cinemas dos Estados Unidos e boa parte da Europa na quinta-feira.

Mais uma vez o filme é estrelado por Bradley Cooper, Ed Helms e Zach Galifianikis (além de uma macaca que vende drogas e rouba a cena). Desta vez, porém, é o dentista Stu (Helms) quem vai se casar, em Bangcoc. É claro que o que vem a seguir é muita confusão e comportamento impróprio.

É sabidamente difícil fazer sequências cômicas que deem certo. Então como Todd Phillips abordou o projeto?

"Eu sabia que a expectativa era grande, mas gostei da ideia de encarar um desafio", disse ele. "Eu tinha esse elenco ótimo que topava tudo o que poderia propor, então por que não tentar?"

As esperanças comerciais são grandes, também. Apesar de resenhas nem todas positivas, algumas projeções são de que o filme da Warner Bros. arrecade mais de 100 milhões de dólares apenas em seu fim de semana de estreia na América do Norte.

A fórmula é mais ou menos a mesma: depois de outro blecaute e algumas revelações assustadoras (que incluem um dedo decepado, uma cabeça raspada e prostitutas hermafroditas), os amigos tentam recordar-se do que, exatamente, aconteceu na noite anterior.   Continuação...