25 de Maio de 2011 / às 18:45 / em 6 anos

007 volta em romance escrito por norte-americano

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - Como é apropriado para a ocasião, no lançamento do novo romance autorizado de James Bond, “Carte Blanche”, havia um carro de luxo, champanhe à vontade, chegadas espetaculares de soldados britânicos e uma garota de longas pernas em uma moto vintage.

A divulgação do livro do escritor policial norte-americano Jeffery Deaver, sobre 007 e suas mais recentes aventuras, que chega às lojas nesta quinta-feira, estava mais para Hollywood do que para o geralmente mais discreto mundo das editoras.

Mas Bond é ainda uma excelente aposta comercial em forma de livro, bem como na telona, o que explica o evento de alto nível na recém-reformada estação de trem St. Pancras, em Londres, com seu ostentoso bar, anunciado como o mais longo da Europa.

Deaver, mais conhecido por seus livros de Kathryn Dance e Lincoln Rhyme, chegou ao bar em um Bentley moderno.

Ele foi conduzido pelo piloto e dublê e pela modelo Chesca Miles, que apareceu como uma Bond girl em uma moto BSA, e recebeu uma cópia do livro novo de um membro do Comando da Marinha Real, que desceu de rapel do teto da estação.

Deaver sempre afirmou que tinha as qualidades “camaleônicas” necessárias para entrar na mente de um personagem essencialmente inglês, mas admitiu que a pesquisa ajudou.

“Eu me tornei um britânico durante os cerca de oito meses que me levaram para escrever o livro”, disse ele à Reuters durante o lançamento.

HISTÓRIA ATUAL

Deaver acreditava que seus romances anteriores tinham muito em comum com uma boa história de Bond, o personagem criado por Ian Fleming, mas que “Carte Blanche” apresentava um desafio extra.

“Sei o que meus fãs querem, os milhões de fãs Jeffery Deaver mundo afora”, disse ele.

“Querem um livro que é essencialmente uma montanha-russa, se move muito rapidamente, com muitas reviravoltas, e uma grande surpresa no final. Bem, é isso o que ‘Carte Blanche’ será.”

A editora britânica Hodder & Stoughton fez questão de manter a história em segredo antes do lançamento, na quinta-feira. “Carte Blanche” se passa nos dias de hoje, na Sérvia e em Dubai, entre outros locais.

“Para meus leitores, acho que há um imediatismo nos livros que se passam nos dias de hoje”, explicou o autor. “Eu quero um livro que seja a mais intensa experiência emocional.”

“Com uma história de época, não ficamos com as palmas das mãos suadas, não sentamos na beirada da cadeira da mesma forma que com Bond resolvendo um problema, um terror, uma ameaça que todos nós enfrentamos todos os dias.”

Deaver já escreveu 28 livros e vendeu mais de 20 milhões de cópias em todo o mundo. Ele continua uma longa tradição de romances pós-Fleming autorizados pelo espólio de Fleming, que incluíram Kingsley Amis, John Gardner e Raymond Benson.

Mais de 100 milhões de livros de Bond foram vendidos no total.

Reportagem de Mike Collett-White

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below