Lady Gaga, em viagem de caridade, pede mais visitas ao Japão

sexta-feira, 24 de junho de 2011 07:47 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - A superstar pop Lady Gaga elogiou o Japão na quinta-feira em meio a um show beneficente e encorajou os turistas, que sumiram após o terremoto, tsunami e crise nuclear de março último, a voltarem ao país.

Uma das artistas mais bem sucedidas da atualidade, Lady Gaga tem ajudado a angariar fundos para as vítimas do desastre de 11 de março, contribuindo com uma música para um álbum de caridade e um mensagem para uma camiseta cujas vendas devem começar nesta semana.

"Eu gostaria de usar minha posição aqui hoje e durante toda a semana para visitar Tóquio e aproveitar esta cidade linda, e beijar todos os lindos pequenos monstros e gritar com toda a força dos meus pulmões que todo mundo deveria visitar este lugar lindo", disse ela numa entrevista à imprensa em Tóquio.

Vestida de preto, ela estava tomando uma bebida na qual se lia "Reze pelo Japão" em japonês. O copo será leiloado para arrecadar fundos para a caridade.

Autoridades agradeceram a estrela por seu apoio, entregando-lhe uma carta de gratidão do governo japonês. Num certo momento, ela chegou a enxugar uma lágrima no canto do olho.

Ela também ganhou uma pequena boneca de papier mache que tem peso no fundo para não cair e simboliza a perseverança e a coragem.

"Nunca desista, e finalmente levante-se. Esta é a tradicional boneca japonesa para você. Isso é Fukushima", disse o chefe da agência de turismo japonesa, Hiroshi Mizohata, acrescentando que a boneca veio diretamente da prefeitura de Fukushima, onde ocorreu o desastre nuclear pós-terremoto.

Lady Gaga respondeu beijando a boneca.

"Estou feliz", ele disse.

Há boatos de que Lady Gaga vai visitar a área devastada ao nordeste do país depois de seu concerto beneficente no sábado, mas ela evitou confirmar expectativas.

 
Lady Gaga usa uma pulseira com a inscrição "We Pray for Japan" (Rezamos pelo Japão). Lady Gaga elogiou o Japão na quinta-feira em meio a um show beneficente e encorajou os turistas, que sumiram após o terremoto, tsunami e crise nuclear de março último, a voltarem ao país.
23/06/2011  REUTERS/Issei Kato