Mônaco nega fuga da noiva do príncipe antes de casamento

terça-feira, 28 de junho de 2011 15:44 BRT
 

PARIS, 28 de junho (Reuters Life!) - O palácio real de Mônaco negou veementemente que a noiva do príncipe Albert teria desaparecido uma semana antes do casamento, conforme publicado em um jornal nesta terça-feira.

O jornal semanal francês L'Express divulgou em seu site que Charlene Wittstock, que vai se casar com o chefe do principado da Riviera Francesa no sábado, foi ao aeroporto na cidade próxima de Nice na semana passada para embarcar em um voo só de ida para a África do Sul, onde viveu grande parte de sua vida.

Foi necessária "uma persuasão infinita" por parte do príncipe e de sua equipe para convencer a ex-campeã de natação, de 33 anos, a mudar de ideia, disse a revista.

"Esses rumores servem apenas para prejudicar gravemente a imagem do monarca, e a da srta. Wittstock, e prejudicar esse evento feliz", disse uma porta-voz do palácio em comunicado, negando as alegações.

Um advogado do casal, Thierry Lacoste, também negou as informações e disse ao jornal Le Figaro que havia começado a tomar medidas legais contra o L'Express.

"Isso é loucura, tudo falso", disse Lacoste ao jornal. "Esse rumor está circulando há três semanas... Eu estive com o príncipe e Charlene Wittstock em Paris três dias atrás, e posso prometer a vocês que está tudo bem."

Milhares de convidados, inclusive dezenas de chefes de Estado, devem comparecer à cerimônia em Mônaco, no sábado.

O chefe da Casa de Grimaldi, de 53 anos, filho do príncipe Rainier 3o com a atriz de Hollywood Grace Kelly, conheceu Wittstock em 2000 enquanto presidia o evento internacional de natação em que ela estava competindo.

Albert governa a pequena cidade-Estado, cercada nos três lados pela França, desde a morte de seu pai, em 2005.

(Reportagem de Gerard Bon e Alexandria Sage)