ESTREIA-"Pinguins do Papai" investe no talento de Jim Carrey

quinta-feira, 30 de junho de 2011 11:41 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - "Todos nós somos estranhos, e os pinguins são o reflexo disso na natureza. Eles são aves, mas também parecem meio peixes". Assim, o ator Jim Carrey defendeu seus colegas de cena numa entrevista no Rio de Janeiro no início desta semana para divulgar "Os Pinguins do Papai", que estreia em cópias dubladas e legendadas.

No filme, dirigido por Mark Waters, Carrey contracena com seis pinguins. Durante as filmagens, foram usadas aves reais e mecânicas, mas o ator confessa que gostava mesmo era de trabalhar com os bichos de verdade.

"Eles são imprevisíveis, por isso engraçados. Não esperam marcação de cena, nem nada. Começavam a gritar do nada", disse o ator. Carrey conta que também levou diversas bicadas de seus colegas, mas não se importou com isso. "Eu precisava atrair a atenção deles, por isso meus bolsos estavam cheios de peixes, e eles corriam atrás de mim. Quando se vai alimentá-los, eles não diferenciam o dedo de uma sardinha e querem engolir tudo".

No longa, Carrey é Popper, um empreiteiro de sucesso, que está tão centrado em sua ambição que não percebe o quanto se distanciou do filhos -- interpretados por Madeline Carroll e Maxwell Perry Cotton. O protagonista não vê o pai, que era um explorador, há anos. Quando ele morre, deixa de herança um pinguim. Não tardam a chegar outros cinco. A meia dúzia de aves passa a viver no sofisticado apartamento de Popper, em Nova York, que precisa ser adaptado às condições climáticas favoráveis às aves, ou seja, passa a ficar o tempo todo de janelas abertas em pleno inverno. "Rodar as cenas em que o apartamento está bem frio foram os piores momentos", ironizou Carrey.

Aos poucos, com a ajuda dos pinguins, Popper se reumaniza, atando novamente os laços com seus filhos e até com a ex-mulher (Carla Gugino). Na vida real, ao contrário de seu personagem, Carrey conta que é bem próximo de sua filha, Jane Erin, e de seu neto, Jackson Riley Santana, de pouco mais de um ano.

Quando perguntado sobre como é ser avô, o ator faz cara de bravo e diz que não quer falar sobre o assunto, ameaçando até mandar tirar a repórter da sala. Mera encenação, como tantas outras que fez durante a coletiva com suas caras e bocas e bom humor. Depois comentou: "Ele nasceu no mesmo hospital que minha filha havia nascido. Foi fascinante. Estou adorando a experiência".

Mas não é apenas de crianças de Carrey diz gostar. Ele conta que pretende trabalhar com todos os tipos de animais que existem no mundo: "Até com os híbridos ou os mutantes eu quero fazer filme. Já pensou uma mistura de peixinho dourado com gato, que fica se caçando o tempo todo? Mas, tenho de confessar, os pinguins são meus favoritos".

SANTORO E REDES SOCIAIS

Para esta que foi sua primeira viagem ao Rio, Carrey confessou que pediu ajuda ao amigo Rodrigo Santoro, com quem contracenou em "O Vigarista do Ano" - no qual faziam um casal de namorados. "Desde criança eu era fascinado por esta cidade. Na escola, cheguei a montar uma maquete dela para um trabalho. E agora pude conhecer os lugares reais. No Cristo Redentor, notei que havia gente de todos os cantos do mundo, tirando fotos, se divertindo. Quero ir a Ipanema, conhecer a famosa garota. Gostaria também de ir me divertir na Floresta Amazônica".   Continuação...