Grupo que defende patrimônio lança apelo à ONU por Veneza

segunda-feira, 4 de julho de 2011 14:02 BRT
 

Por Philip Pullella

ROMA (Reuters) - O principal grupo italiano de defesa do patrimônio histórico-cultural do país exortou as Nações Unidas na segunda-feira a incluírem Veneza na lista de patrimônios ameaçados, dizendo que o turismo de massas, o descaso ambiental e a construção crescente colocam em risco a sobrevivência da cidade dos canais.

Em coletiva de imprensa na qual acusou os governos italianos de terem subestimado os efeitos devastadores da política de turismo e dos projetos de desenvolvimento passados e futuros, o grupo Italia Nostra (Nossa Itália) previu um futuro sombrio para Veneza.

"Hoje esse lugar excepcional corre o risco de ver destruído seu caráter e o que resta de sua condição natural", disse Lidia Fersuoch, chefe do ramo de Veneza do Italia Nostra.

Fersuoch disse que o grupo nacional vai pedir à Unesco, a organização cultural das Nações Unidas, que coloque Veneza em sua lista de patrimônios ameaçados e considere a possibilidade de tirar a cidade por completo de sua lista de Patrimônios Mundiais, "porque o governo italiano não tem cumprido seu compromisso assumido com a Unesco de proteger Veneza e sua lagoa".

Veneza, cujos majestosos palácios e igrejas erguem-se sobre ilhas baixas, palafitas e depósitos de lama, possui inúmeros problemas sociais, ambientais e estruturais.

As marés altas no Adriático regularmente elevam o nível da lagoa e dos famosos canais de Veneza, inundado áreas mais baixas como a praça São Marcos por cerca de 80 dias por ano.

A água agride as estruturas já frágeis, e a umidade desestabilizadora se eleva por sete metros nas paredes da Basílica de São Marcos.

Conservacionistas dizem que o delicado ecossistema da lagoa vem sendo fortemente prejudicado pelo aterramento e as construções, os portos industriais, a remoção de sedimentos e a passagem de enormes navios turísticos e mercantes.   Continuação...