Adele e Lady Gaga puxam recuperação da música nos EUA

quinta-feira, 7 de julho de 2011 16:26 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - A cantora britânica de Soul Adele e a extravagante artista pop norte-americana Lady Gaga ajudaram o setor fonográfico dos Estados Unidos a registrar uma modesta recuperação após uma década de declínio.

Segundo dados divulgados na quarta-feira pela empresa Nielsen SoundScan, a venda total de álbuns subiu 3,6 por cento no primeiro semestre, chegando a 221,5 milhões de unidades, na primeira alta desde 2004.

Se mantida até o final de 2011, essa seria apenas a segunda alta anual em 11 anos.

Na verdade, o ano começou muito ruim para o setor, com o total semanal de vendas alcançando vários recordes negativos. Mas Adele e Lady Gaga restauraram parte da esperança para as gravadoras, abaladas pela pirataria, pela diminuição no número de selos e pela recessão econômica.

Adele vendeu 2,5 milhões de cópias do seu segundo álbum, "21", nas 19 semanas desde o seu lançamento. O trabalho passou dez semanas não-consecutivas na liderança, e nunca caiu abaixo do terceiro lugar.

"21" supera com folga o segundo álbum de Gaga, "Born This Way", que vendeu 1,5 milhão -- mas que tem a seu favor o fato de ter saído há apenas seis semanas. O detalhe é que as vendas do trabalho de Gaga despencaram depois da primeira semana, quando foram vendidas 1,1 milhão de cópias ao preço promocional de 0,99 dólar na Amazon.com.

"Born This Way" apareceu em 12o lugar na última parada semanal; "21" está em segundo.

O sucesso de Adele foi impulsionado por seu sucesso "Rolling in the Deep", faixa digital mais vendida até agora no ano, com 4,1 milhões de downloads.

A faixa-título do álbum de Lady Gaga aparece em terceiro lugar, com 2,9 milhões de downloads, logo atrás da divertida "E.T.", de Katy Perry, com 3 milhões.   Continuação...