Rivalidade comercial prejudica cobertura sobre Murdoch, diz WSJ

segunda-feira, 18 de julho de 2011 14:38 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - "Motivos comerciais e ideológicos" estão por trás de boa parte da mídia "clamando" aos políticos para que derrubem Rupert Murdoch por causa do escândalo dos grampos telefônicos na Grã-Bretanha, disse o Wall Street Journal na segunda-feira.

"O 'schadenfreude' é tão grosso que você pode cortá-lo com uma serra elétrica", disse em um editorial o Wall Street Journal, de propriedade do News Corp.

"Também vale notar a ironia de tanta indignação moral devotada a uma única empresa de mídia, quando se sabe há décadas que os tablóides britânicos compram furos e desenterram informações constrangedoras dos famosos", disse o jornal, comprado por Murdoch há quatro anos, quando o News Corp adquiriu a Dow Jones and Co.

Os políticos britânicos que condenam a influência da mídia sobre a política são os mesmos que há muito cobiçam o apoio da mídia, afirmou o Journal.

"A ideia de que a BBC e o jornal The Guardian não tentam influenciar os assuntos públicos, e não distorcem a cobertura para fazer isso, não se mantém durante o escrutínio de um dia", afirmou ele.

Em outra aparente farpa voltada para o Guardian, o Journal questionou os padrões jornalísticos dos jornais que tiveram um grande papel na divulgação dos documentos secretos do WikiLeaks.

"Eles querem que seus leitores acreditem, sem base em evidências, de que os excessos dos tablóides de uma publicação de alguma maneira mancham a reputação de outros milhares de jornalistas do News Corp ao redor do mundo."

As acusações de grampo telefônico centram-se no semanário News of the World, da News Corp, fechado pela empresa quando as acusações ocorreram no começo deste mês.

O Journal, ressaltando que os executivos do News Corp lamentaram profundamente todo o escândalo, defendeu Les Hinton, que renunciou do cargo de editor do Wall Street Journal na semana passada.

Hinton, que nega ter feito qualquer coisa errada, era encarregado dos jornais de Murdoch na Grã-Bretanha quando boa parte dos grampos teria ocorrido.

 
Chefe-executivo da News Corp, Rupert Murdoch, visita hotel onde se encontrou com a família da adolescente assassinada Milly Dowler, no centro de Londres. "Motivos comerciais e ideológicos" estão por trás de boa parte da mídia "clamando" aos políticos para que derrubem Murdoch por causa do escândalo dos grampos telefônicos na Grã-Bretanha, disse o Wall Street Journal na segunda-feira.
 15/07/2011   REUTERS/Paul Hackett