Javier Bardem e cineastas pedem tratado contra a pirataria

terça-feira, 19 de julho de 2011 19:05 BRT
 

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - O ator espanhol Javier Bardem e vários cineastas fizeram um apelo aos internautas na terça-feira a apoiar os setores de produção cultural criativa que lutam para sobreviver à era da pirataria digital, evitando fazer downloads ilegais de filmes e música gratuitos.

O diretor de cinema Iain Smith, o produtor egípcio Esaad Younis e o produtor e diretor indiano Bobby Bedi se uniram a Bardem para lançar um pedido por um novo tratado global para proteger os direitos dos atores e criadores de conteúdos audiovisuais.

Bardem, premiado com o Oscar e visto atualmente nos cinemas em "Biutiful", disse sobre a indústria do cinema: "Mais de 90 por cento das pessoas que trabalham no setor enfrentam problemas sérios para pagar seus aluguéis, suas contas e até mesmo comer."

"A remuneração é crucial, não para mim, mas para os 90 por cento que enfrentam problemas sérios para ganhar a vida."

Bardem disse em coletiva de imprensa que, diferentemente do que acontece com diretores, roteiristas e músicos, os direitos dos atores não são protegidos pelas leis internacionais atuais de direitos autorais.

"Nós, atores, contribuímos com outra coisa. Em certo sentido, somos autores."

O ator espanhol, que recebeu um Oscar por seu papel coadjuvante no filme de 2007 dos irmãos Coen "Onde os Fracos Não Têm Vez", é casado com Penelope Cruz, que contracena com Johnny Depp em "Piratas do Caribe - Navegando em Águas Misteriosas".

Aludindo às pessoas que descarregam filmes na Internet sem pagar, ele falou: "As pessoas pensam que estão prejudicando o produtor que viaja de jatinho particular ou tem cinco piscinas ou o ator de Hollywood com três mansões em cada cidade."   Continuação...