Família de Amy Winehouse pede "privacidade e espaço"

domingo, 24 de julho de 2011 18:00 BRT
 

Por Tim Castle

LONDRES (Reuters) - A família de Amy Winehouse pediu que o público lhe desse um pouco de privacidade, no domingo, um dia depois da morte prematura da jovem cantora, que fez com que os fãs corressem para baixar da Internet suas músicas.

A cantora de "Rehab" foi encontrada morta, sábado, na sua casa em Londres, tornando-se a mais recente integrante de uma lista de ídolos da música que morreram com a idade, aparentemente maldita, de 27 anos.

"Nossa família ficou destruída pela morte de Amy, uma filha, irmã e sobrinha maravilhosa. Ela deixa uma enorme lacuna em nossas vidas", disse a família em um comunicado. "Estamos reunidos para lembrar dela e gostaríamos de ter um pouco de privacidade e espaço num momento terrível como esse."

A polícia diz que ainda é cedo para especular sobre o que causou a morte de Amy, mas a luta de Amy contra o álcool e as drogas é muito conhecida.

Sua música mais conhecida, "Rehab", era um testemunho da sua luta para se desintoxicar. Outros membros do que foi chamado de clube dos "Para Sempre 27" incluem Jimi Hendrix, Janis Joplin, Jim Morrison e Kurt Cobain, que morreram nessa idade, em circunstâncias diferentes, depois de um estilo de vida caótico associado à carreira no rock&roll.

"O que os liga é o fato de que todos eles eram transformadores da cultura pop, todos ajudaram a levar o som da música moderna a novos patamares e alguns fizeram isso numa escala muito grande, como Amy Winehouse, Jimi Hendrix e Brian Jones", disse Eric Segalstad, autor de "The 27s: O maior mito do Rock and Roll."

Em muitos casos, a fama póstuma dos músicos superou o sucesso que eles desfrutaram durante a sua carreira, com as suas gravações ainda sendo vendidas e apreciadas por um novo público.

Esse pode ser o caso com Amy Winehouse, considerada por alguns como a mais talentosa cantora da sua geração, que deixa apenas um pequeno número de gravações que mostram o seu talento.   Continuação...